domingo, 7 de maio de 2017

Transformar um real em dois

Transformar um dólar em dois é um dos principais motto dos ricos dos USA. Todos os gurus financeiros que sigo usam o termo, que consiste em fazer com que cada nota de dólar que entra no seu bolso se transforme em dois após um tempo, ao invés de transformá-lo em zero gastando-o. Ao contrário do que se pode pensar num primeiro momento, transformar um real em dois não envolve truques de mágica, golpes, nem tampouco um intelecto superior, e sim na poupança e investimento em empreitadas lucrativas.

Sempre pense em poupar religiosamente uma parte de todo valor que entrar no seu bolso, e a seguir em transformar esse valor em seu dobro ou triplo, dependendo do estilo de vida que deseja levar.

Uma dica simples e efetiva é: guarde todo o dinheiro que gastaria em coisas inúteis, fúteis e vícios, e invista.

Cada real que você fizer trabalhando, tem de virar dois obrigatoriamente. Isso devia ser matéria de escola primária, uma vez que você gasta (transforma em zero) uma parte de sua renda apenas para sobreviver.

O processo é este:
Nunca gaste mais do que ganha.
Trabalhe mais.
Poupe mais.
Invista.

Isso vai transformar cada real em dois após algum tempo.

16 comentários:

  1. Texto curto mas excelente.
    Umas das grandes falhas do nosso sistema educacional é não abordar educação financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo.
      Sistema educacional é um lixo e não ensina nada útil. Se eu puder não ponho um filho nisso.

      Excluir
  2. Curto, mas eficiente. Excelente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      Não sei se consegui, mas quis tratar da ideia a se perseguir. Não só poupar mas poupar com esse conceito em mente: "transformar um em dois". Acho que faz toda a diferença, e tenho pensado muito nisso.

      Excluir
  3. Não sou contra ensinar isso nas escolas, aliás até ensinam em algumas principalmente as particulares.
    Mas não acredito que isso seja apenas por falta de informação, afinal boa parte dos endividados brasileiros são da classe média. Pessoas que em sua maioria tem acesso sim a informação, o que falta muitas vezes é bom senso.
    A questão do endividamento no Brasil é complexa, com a renda média que o brasileiro tem fica difícil não se endividar para comprar bens de grande porte como imóveis.
    Por esse lado acho perfeitamente compreensível, mas tem muita gente que simplesmente se acostumou a viver de financiamento em financiamento, dívida em dívida, afinal pra que poupar se podemos morrer amanhã, dinheiro existe é pra ser gasto, essas são idéias comuns pra muita gente.
    Poupador é visto como pão duro, rico é visto como explorador ou esnobe afrescalhado.
    Portanto isso não é apenas uma questão de educação formal, é questão de necessidade, vaidade ou mesmo estupidez.
    Fora a luta por status, pessoas que fazem do seu trabalho, e da sua imagem pessoas a coisa mais importante de sua vida, superando a própria saúde.
    Tem muita gente simples de pouca educação formal que sabe administrar bem o pouco que tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diferença entre o classe média e o pobre no Brasil é praticamente semântica, pois os dois são pobres em comparação com a classe média do mundo desenvolvido. Você está certo, não muda muito ensinar isso na escola, apesar de ser providencial aprender desde jovem. O que ensinam na escola é desenhado pela mesma gente que imprime dinheiro e te quer pobre, portanto é tudo inútil.

      Excluir
    2. Anon e conhecimento financeiro: joguem no google "armadilha da renda média."

      Resumindo: Uma país para se tornar rico precisa de poupança.

      Cronograma do enriquecimento = Poupança = Investimento = desenvolvimento + riqueza.

      Indivíduos poupam para investir em negócios lucrativos gerando soluções e riquezas para nação = desenvolvimento social.

      Como é ensinado pelo metidos sabichões da ciência sociais e cursos de humanas.

      Imprimi dinheiro + demanda = enriquecimento

      Procure pelo fator multiplicador da formula do Keynes.


      Consumo não gera enriquecimento! O que gera enriquecimento é poupança + investimento.

      Imagina um gráfico com uma linha continua.

      Países desenvolvidos

      zona de Equilíbrio
      Poupança Consumo
      ----------------/ ----------------------

      Brasil

      Consumo
      --/-------------------------------------------------



      A cultura geral nos países emergentes sempre foi pautada no consumo , este consumo nunca esta atrelada a poupança nacional, mas sim ao crédito direcionado. Incrível como seguimos nesta linha como cordeiros guiados pelo lobo, caímos frequentemente na armadilha da renda média ficando presos na armadilha da renda média ad eternum.

      Responsáveis pelo fracasso brasileiro:
      - Primeiro responsável>>> Brasileiro médio
      - Segundo responsável: Economista esquerdista metidos sabichões
      - Terceiro responsável: Mídia porca que ensina na novelas das 8 que ser rico significa ter 3 carros de luxo + 3 casas na praia etc.

      - Quarto responsável empresas que ganham sobre consumo de massa + crédito direcionado estatal.

      Enquanto isso nos países desenvolvidos empresas e investidores vem gastando bilhões com criações de novas tecnologias para desenvolvimento em campos de universidade, enriquecendo a nação com criação de novos produtos e serviços.

      Aqui nosso governo gasta bilhões com políticas de crédito direcionada gerando uma demanda artificial que dura alguns anos até que ocorra estouro da bolha, adiante ocorre outra injeção de crédito para reanimar o morto.

      OBS: Da para ganhar dinheiro com este esquema e muito.

      Especulando na fase expansionista e vendendo antes do estouro das bolhas de crédito direcionado.

      Agora vai explicar isso para economistas burros ensinados pela Unicamp e outros zonas de burrice coletivas do br.

      Acadêmicos brasileiros são burros e metidos sabichões.

      Procure pelo livros do Nicolas Taleb " Este autor vive metendo o pau na seita dos metidos sabichões da economia mundial como " Paul Krugman" que criam teorias inúteis , mas não investem um puto do seu dinheiro no mercado para testar validade das teorias que defendem como xitas adestradas.

      Quando mais estudamos sobre determinados assuntos : Mais inconsistência percebemos nas falas destes doutores, além de estratégia e sofismas típicos desta gentinha.

      Erros primários de lógica aritmética , não importa quanto fracassos incorram ao longo do tempo advindo destas teorias. A culpa é sempre dos outros .

      Não da para acreditar que esta nação algum dia vai acordar.

      Inclusive boa parte do meio acadêmico é uma seita religiosa que nega obviedades das mais triviais possíveis.

      Procurem pela % de CPF na bolsa Vs quantidade de CPF da bolsa de países desenvolvidos.


      Existe um fundo soberano de aposentados da Noruega que possui cerca de 1% de todos as bolsas mundiais.

      Também existe uma desonestidade intelectual profunda que impera no meio acadêmico! Aquilo parece um tipo de seita religiosa que nega obviedades.

      Inclusive esta sempre foi umas das causas do porque grandes economista com conhecimento no mercado seguem fora das veredas do meio acadêmico tupiniquim.

      Melhor ganhar dinheiro no mercado apostando contra burrices dos economistas tupiniquins. KKKk









      Excluir
    3. O Antifragil eu comprei mas só lerei no final do ano quando minha mãe vier visitar-nos.

      Concordo com tudo.

      Excluir
  4. Falar em dinheiro no Brasil, um país socialista, é crime... Coisa de "burguês", de "imperialistas". Falar em poupar? Para quê? O governo vai pagar tudo, a Constituição me dá todos os direitos, a justiça do "Trabalho" me garante a vitória mesmo que e minta.
    Quem poupa dinheiro no Brasil, é a elite...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A constituição de 88 é um lixo e eu limparia a bunda com ela. Não juro fidelidade nem protegeria aquele papel higiênico comunista.

      Excluir
  5. Otimo, gosto de seus posts....
    Agora o que voce escreveu no comentario sobre a diferenca do classe media e pobre no brasil ser semantica apenas, so digo que concordo é fato. Nos EUA MEU AMIGO E ESPOSA FAZEM 95 MIL DOLARES AO ANO, e sao classe media baixa.... Lembro me uma vez fiz uma entrevista no brasil que eles pergubtaram meu ultimo salario em dolares, quando eu falei quanto era me senti muito iimpotenteo que me fez refletir muito e tomar o rumo pra fora do pais.
    R.R

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá RR,
      O brasileiro desconhece este fato. Classe média no Brasil não passa de pobre num país desenvolvido, relativo à qualidade de vida.

      Excluir
  6. CF,

    Belo resumo ao final:
    "O processo é este:
    Nunca gaste mais do que ganha.
    Trabalhe mais.
    Poupe mais.
    Invista."

    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Belo post CF! E daria um post o comentário do Mestre dos dividendos! hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      O mestre dos Dividendos é um pensador.

      Excluir