terça-feira, 9 de maio de 2017

Os concursos públicos que prestei

Olá amigos, hoje vou contar sobre os concursos públicos que prestei durante a vida. Foram três, a contra-gosto pois  desde bastante tempo tenho aversão ao estado e ao funcionalismo público, mas estava tão na merda que vi os concursos como alternativa para ganhar um salário melhor e poder poupar.

Tenho um grande amigo que desde o começo da faculdade era estimulado a estudar para concursos e tem facilidade incrível para decoreba. Isto o levou a passar em um concurso anos atrás de auxiliar de qualquer coisa que lhe dava 1600 reais quando meu estágio pagava apenas R$ 330,00. Isso não me impressionava pois na época eu estava atrás de uma carreira e não de dinheiro. Minha vida estava relativamente fácil e a do amigo difícil. Acordava as 5 da manhã e viajava uma hora para trabalhar no seu cargo sem fururo.

Mais tarde ele usou de sua força de vontade e aproveitou que o governo do PT criava vagas em órgãos públicos todos os dias, e passou em outro que pagava R$ 2300,00 num órgão que defende o estado e processa empresas (muitas sacanagens do estado sei de primeira mão através de amigos funças). Na época era um bom salário que lhe proporcionava uma vida pujante pois ainda morávamos com os pais.

Isso também não me impressionava. Meus planos eram fazer intercâmbio e MBA e desenvolver-me ao máximo em minha carreira. Assim, terminei a faculdade e parti em busca de meus planos.

Ao retornar do exterior, só consegui empregos merda (não que eu não saiba que eles são a regra e não a exceção) e aquilo foi me cansando. Trabalhava como louco, viajei pra varios lugares atrás de empregos melhores e minha vida financeira não melhorava em nada.

Competir com funcionários públicos no Brasil é um jogo desleal, pois eles são uma casta favorecida como todos sabemos.

Como nunca quis tornar-me um, resolvi aproveitar que pedi demissão do trabalho no hotel (leia aqui) e testar-me na prova do Banco do Brasil que é fácil e não exigiria que eu me tornasse um "concurseiro" (o que considero um atestado de fracasso).

Estudei por quase dois meses e fiquei bem colocado na prova. Gostei do conteúdo, pois quase tudo eu já conhecia e aprendi alguns conceitos sobre o sistema financeiro. Feliz ou infelizmente não fui chamado, e decidi que a ideia de seguir trabalhando e prestando concursos para bancos e cargos com requisito segundo grau seriam um bom caminho para mim, pois se passasse e eventualmente fosse chamado, poderia decidir se aceitava ou não. 

Nesta época meu amigo já tinha passado em seu terceiro concurso, para um órgão público que muita gente almeja e acha ser bom trabalhar, o da pirâmide financeira. Segundo o que sei as condições são ruins, as fraudes e perigo de cometer erros e se dar mal também. Apesar disso tudo, haviam bons benefícios e o salário era legal a ponto de considerarmos esse amigo "aposentado" pois ia lá embaralhar papel 6h por dia e depois estava livre pra curtir seus 4k por mês.

Surgiu outro concurso do BB e tirei praticamente a mesma nota mesmo sem ter estudado muito. Logo depois prestei um da previdência social. O salário era muito bom, cerca de 6k por mês e tinha inglês na prova pra reprovar a concorrência. Considero que fui bem na prova mas também não fui chamado.

Minha conclusão disso tudo foi que eu deveria tornar-me um concurseiro caso quisesse passar nas provas em uma boa colocação, ao invés de ficar batendo na trave.

Tive a sorte de arrumar um bom emprego nessa época que me permitia aportar e investir em terrenos. Logo depois casei-me com minha mulher e nossos salários possibilitaram que nossa vida ficasse melhor, sem a necessidade de estudar para um concurso público.

É muito provável que se eu tivesse passado no do BB estivesse lá até hoje. O salário eram 1800 reais + 800 de vale alimentação. Com isso e a segurança do cargo provavelmente eu teria comprado um apartamento e tido um filho, ficando lá preso pra sempre. O bom desse tipo de cargo é que alguém esperto pode usá-lo de trampolim para concursos, ou oportunidades melhores. Pense nisso.

Apenas a título de curiosidade, esse meu amigo largou seu emprego para abrir sua própria empresa e se deu muito bem. Admiro muito a coragem. Ser corajoso é uma característica rara. Contei sua história para chegarmos a uma conclusão.

Agora que a fonte secou e o PT quebrou o Brasil com tantos funcionários públicos blindados e cheios de benefícios, apenas um seleto grupo de concurseiros profissionais mais espertos e com tranquilidade financeira tem chances de passar. Nada mais de aventureiros.

Mesmo assim, acho sensato prestar concursos em áreas que você se identifique, desde a idade que seja possível. Não estou recomendando que você mate seus sonhos e se torne um burocrata inútil na engrenagem estatal, mas ser financiado pelo estado quando jovem pode lhe colocar muitos kilometros à frente enquanto você persegue seus sonhos nas horas vagas.

Não adianta só dar dinheiro para a indústria do concurso público que se desenvolveu no Brasil, junto à gurus de estudo sabichões do sucesso, mas reservar uma grana para estudos e para a inscrição pode sim ser visto como interessante para um Capital Alocado à Risco.

Caso você passe e seja chamado em até dois anos, pode fazer um balanço de sua vida profissional e decidir se pega o emprego por um tempo, até achar algo melhor.

43 comentários:

  1. Olá CF,
    Hoje eu trabalho em um órgão público. A minha intenção não era trabalhar para o governo, mas devido eu estar quebrado e não ser valorizado nas empresas privadas eu fui para o lado público. Não pretendo ficar por aqui por muito tempo. Depois que ficar livre financeiramente irei sair.

    Não sei se nos outros órgãos são como o meu. Mas aqui a enrolação é demais. Muitas reuniões para não produzir quase nada. Isso é uma coisa que não gosto.
    Sempre trocando de diretores, coordenadores que acabam afetando os andamentos das atividades.

    Estou fazendo um post falando como passar em concursos estudando pouco. A intenção é livrar as pessoas dessas empresas que faturam milhões com concurseiros.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy,
      pelo que sei é quase tudo um lixo, e quanto mais dinheiro mais corrupção rola. É um dos males da república, o governo comprometido com negociatas.

      No aguardo do seu post, um abraço.

      Excluir
  2. Interessante o ponto de vista de usar o emprego público como trampolim, nunca tinha visto por esta perspectiva. já fui instigado por muitos à prestar concurso, mas sempre considerei sinônimo de vender a alma para o diabo, contra tudo que eu acredito, por melhor que seja o salário.
    Conheço um cara que pode-se dizer que é "concurseiro profissional". já tem os seus 32-33 anos, já passou em alguns mas ainda não considerou o salário bom o suficiente pra ele. NUNCA trabalhou um dia sequer na vida, sempre só estudando, passando e recusando. O que me incomoda mais nisso é a quantidade de pessoas com altíssima capacidade intelectual que poderiam ser muito mais úteis para o mercado e a sociedade e que são dragados pelo governo para serem jogados em cubículos recebendo um salário desproporcional para aquela função no mundo real. Além de claro jogarem a vida fora buscando isso, a tal estabilidade, as regalias, a falta de cobrança, falta de responsabilidade e descaso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheci alguns desses caras na vida. Nunca trabalharam. Alguns conseguiram cargos legais, outros não. A maioria seria bem porca num emprego privado, mas também tem alguns que são um desperdício de talento.

      Para mim essa busca por segurança não passa da busca pela morte decadente em uma cama quentinha.

      Dinheiro é importante e o setor público pode ser uma opção para sair do buraco.

      Um abraço!

      Excluir
  3. Muito interessante seu track record, CF. Bacana você compartilhar suas experiências neste setor que é projeto de vida de milhões de brasileiros.

    E daqui para frente? Pretende permanecer na carreira pública ou ingressar na iniciativa privada? Pergunto isto porque me recordo de seus posts anteriores sobre as 'pressões' dentro de casa e tudo mais.

    Abs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, não cheguei a entrar no setor público.
      Pretendo continuar na iniciativa privada e tornar-me empreiteiro, dentre outras coisas. Fique ligado.

      Excluir
  4. A sua visão sobre a carreira pública é completamente míope, cheia de jargões e clichês exaustivamente repetidos por quem não conhece o serviço público.

    Se você se basear por "órgãozinhos" vagabundos, que pagam uma mixaria, certamente o seu corpo profissional tende a ser ruim. Entretanto, se você tiver a oportunidade de conhecer carreiras públicas mais elitizadas (R$ 15k pra cima), você verá que o nível profissional é muito alto, a carreira é desafiadora e a meritocracia é considerada!

    Poderia falar muito sobre isso e ainda será assunto no meu blog (dá uma passada lá!) mas não me entra na cabeça o seguinte: por que alguém prefere ganhar mal e trabalhar pra enriquecer o patrãozinho ao invés de ganhar bem e prestar um serviço pra sociedade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Tenho amigos e familiares no setor público que corroboram com minha visão e somam com suas anedotas.

      Não sei porque alguém escolhe enriquecer o patrão ao invés de prestar um serviço relevante, talvez por burrice, necessidade ou falta de coragem. Falei disso a pouco (em um post sobre pessoas que não crescem profissionalmente).

      Mas acredito que quase nenhum funcionário público preste serviços relevantes para a sociedade. Vivem de imposto porque passaram em uma prova ou foram escolhidos politicamente, e a maioria não faria isso no ramo privado. É cliché, mas é a verdade.

      Segundo o que você disse seria apenas pagar bem que o ramo público se sobressaria, sendo que isso é comprovadamente falso. Sistema judiciário é um exemplo.

      Já dizer que a tendência é existir mais competência em concursos difíceis é bastante óbvio mas não quer dizer nada, pois funcionários de empresas publicas produzem menos que os de empresas privadas, ou até mesmo nada, em diversos setores.

      Minha opinião é oposta relativa a empresários ou empregados de empresas privadas que geram valor, ou não comem. Concorda?

      Mas em resumo o post não tem nada a ver com ser melhor ou pior , tem a ver com aproveitar as possibilidades.

      Qualquer dia dou uma passada no seu blog.

      Excluir
    2. Pura demagogia que quem defende o mercado que está inserido.

      Já trabalhei dentro de 2 órgãos públicos das elites e prestei serviços para vários outros então posso dizer que são todos iguais!

      Politicagem e vagabundagem é a característica comum em todos eles. Os terceirizados e estagiários que fazem a máquina funcionar, pois quem presta concurso é para se encostar. Somente aqueles que não podem botar uns buchas de frente que não terceirizam (saúde e educação já foram, só falta a segurança), mas mesmo assim há os prêmios por incompetência, quanto mais preguiçoso e mais puxa saco é, maiores serão as bonificações de chefia e maiores são os cargos.

      Sabe por quê o cargo comissionado tem esse nome? Porque o indicado tem que pagar a comissão para seu costas quentes. Só depois que deram um significado em prol da sociedade para disfarçar o que realmente é.

      Ainda to puto com a reforma da previdência que não estão querendo pegar o servidores que entraram na máquina antes de 2013. Chega ser revoltante uma senhora dar entrevista falando que não iria saber o que fazer da vida sem seu aposento de 7 mil reais.

      Desculpe o textão, é que já deu no saco essa quantidade de eufemismos utilizados para mascarar o que o governo realmente é. Imoral e anti-humano.

      Excluir
    3. Prestar serviço pra sociedade? kkk

      Cara, entenda, prestar serviço pra sociedade é fornecer algo que ela realmente queira (enriquecer o patrão também se enquadra indiretamente aqui, aliás, que mentalidade marxista essa frase 'enriquecer o patrão'). Prestar serviço pra sociedade não é um emprego criado na canetada por um burocrata, embora a minoria deles ainda existiriam (policiais, enfermeiros, médicos, bombeiros, professores) num mercado normal. Quem se beneficia, na verdade, são os muitos que só tiram xerox ou carimbam papeis e ganham lá seus 4k por mês. Algo bizarro.

      A única coisa que você não citou nessa casta de funcionários públicos é que são um bando de privilegiados, fruto da nossa cultura ibérica como disse Roberto Campos. Passar numa prova e ter emprego vitalício independentemente da produtividade? Cara, isso é uma puta privilégio e totalmente antiético. Antes de me acusar, como corriqueiramente fazem os funças virtuais, de ter inveja ou algo assim, saiba que passo em qualquer provinha dessa pra macaco adestrado, passei num curso foda de concorrido federal. E caso eu venha a ganhar menos no mercado, não teria problema em fazê-lo (embora seja antiético, confesso) e provavelmente fruto da minha incompetência num mercado livre (difícil de achar no Brasil) e produtivo.

      Não há problema algum em ser funcionário público, só está reagindo a incentivos econômicos de um país semissocialista. E o sistema, a necessidade de subsistência e grana são maiores que as nossas convicções políticas (não a sua, pelo jeito, que acredita estar realmente servindo à população haha - deve ajudar a dormir).

      Excluir
    4. 1) conhecimentofinanceiro: entendo seu ponto de vista. De fato os processos e a tomada de decisão são mais lentos na administração pública em relação à iniciativa privada, mas isso não se dá pela improdutividade dos “funça”, mas é puro reflexo de um modelo de gestão pública burocrática, que mundialmente já foi substituído por modelos gerenciais, mas Brasil é Brasil...

      2) Pobre Sofredor: você está um pouco chateado, tente se acalmar. A verdade é que a sua piscina está cheia de ratos e suas ideias não correspondem aos fatos. Estagiário e terceirizado que fazem a máquina funcionar? Meu deus, faça-me um favor né...A adm pública é gigante e tem todo tipo de órgão, mas nas organizações públicas decentes (não precisa nem ser tão elite) estagiário e terceirizado são incumbidos de serviços de baixa complexidade como digitalizações, organização e transporte de processos, carimbar, etc.

      3) Anon: essa sua expressão “os muitos que só tiram xerox ou carimbam papeis e ganham lá seus 4k por mês” reflete o seu desconhecimento da administração pública, ao menos federal. Entretanto tenho que concordar com você quando fala “emprego vitalício independentemente da produtividade”. Infelizmente alguns servidores públicos entram no serviço público achando que é farra e fazendo corpo mole (será o caso do Pobre Sofredor caso seja aprovado) e alguns outros adquirem essa condição com o tempo. A CF 88 (a partir de Emenda de 1998) prevê a possibilidade de demissão de servidor público caso não atenda a critérios de desempenho profissional o que mudaria esse cenário. Infelizmente esse dispositivo carece de regulamentação infraconstitucional que até hoje não saiu (muito por lobby do sindicalismo).

      Excluir
    5. Amigo, aqui todo mundo sabe como o funcionalismo funciona. Obrigado por sua opinião e apaixonada defesa, mas não sou um admirador do setor.

      Excluir
  5. Desculpe mas não há motivo algum para ficar discutindo serviço privado ou público da mesma forma que não há motivo para discutir se é preciso estudar para ser rico ou se é possível ficar rico sem estudo formal. Em ambos os casos encontramos pessoas bem de vida. Eu, por exemplo, venci na vida sendo funcionário público e estudando muito mas tem outras pessoas que vencem na vida e são analfabetas, montam uma empresa e se dão bem. Seu discurso parece o da esquerda vamos dividir para conquistar. No nosso caso, de pessoas que buscam a independência financeira, cada um tenta melhorar na vida com as armas que possui o importante é fazer o que gosta e fazer bem. Todos que estão na luta pela independência financeira estão do mesmo lado e cada um da sua forma. Seu texto transparece uma espécie de rancor com os funcionários públicos que vai acabar se voltando contra você tome cuidado isso pode prejudicar sua saúde física e mental.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Painel, não quero ofender funcionários públicos aqui, independente de eu não ter apreço pela atividade deles. Ignore minha rispidez.

      A dica que quero dar é que um cargo público pode ser a saída pra qualquer um independente das ideologias.

      Excluir
    2. Pois é. O CF fez um texto bem imparcial. E o pessoal fica ofendidinho.

      Como ele disse, vale a pena fazer concurso e subtrair valor da sociedade que não se importa até que a economia algum dia entre verdadeiramente em colapso. Nesse caso, os mais prejudicados seriam os funcionários públicos (arrecadação de imposto encolhida, acabou a tal da estabilidade, vide Rio). É engraçado vê-los contra as reformas que garantem seus privilégios. Até lá, ganhemos dinheiro nessa via não nobre. Não importa o que acham dos funcionários públicos, as coisas não vão mudar. Então pra que ficar ofendido com o texto? Não querer admitir a realidade é puro orgulho. Ninguém vai ser demitido nem tomar seu "emprego". Vamos ganhar dinheiro de forma fácil e parar com mimimi.

      Excluir
    3. Anon, nos últimos anos deixei de ter uma postura anarquica e libertária em relação a algumas (bem poucas) atividades do governo, portanto creio que se o estado fosse microscópico e sem grandes benefícios ninguém senão os mais patriotas seriam funças por vocação.

      Sendo ou não, acho que as pessoas podem se beneficiar de cargos públicos caso não consigam algo melhor, e não parem de seguir sua visão. Citei meu amigo que de maneira surpreendente teve coragem para isso.

      O cara que me ajudou a comprar o kit net foi quem me deu essa ideia. Estavamos parados em um órgão público onde os funcionários eram desrespeitosamente lentos, ao que reclamei. Ele disse que não os odiava, e que quando esteve na merda, passou em concursos, e quando estava melhor seguia a vida no privado (antigamente era mais fácil). Achei interessante sua postura e decidi ponderar a ideia.

      Excluir
    4. Em momento algum fiquei ofendido com o texto vocês inverteram as coisas estão parecendo os PTralhas que acusam os outros daquilo que fazem. O que eu disse é que não adianta ficar chorando e criticando iniciativa privada ou pública. Eu sou funcionário público, professor e independente financeiramente se eu quisesse eu poderia parar de trabalhar hoje mesmo e viver o resto da vida tranquilo. Sobre dar opiniões de forma anônima não vou nem comentar, pois não merece credibilidade alguma. Eu me tornei financeiramente independente pegando meu salário de professor e fazendo ele trabalhar no meu lugar e isso é simples. Todos aqui devem conhecer funcionários públicos (quando digo funcionários públicos estou me referindo às pessoas que fizeram concursos e concorreram de forma legítima e não aos apaniguados dos políticos) pobres e ricos e funcionários privados pobres e ricos então não é isso que vai te tornar financeiramente independente.

      Excluir
  6. A indústria do concurso é uma indústria maldita. Já estou até desistindo. Tenho vários parentes próximos que passaram e vários, se classificaram e não foram chamados. O pior, nem acabou o prazo das chamadas e já fizeram novos editais e já estão rolando novos concursos para as mesmas vagas!

    Sem falar nas quadrilhas fraudadoras que vendem os gabaritos.

    Ontem saiu uma reportagem de uma quadrilha de João Pessoa que cobrava 10x o salário inicial do cargo.
    https://goo.gl/0YOGzn

    Cara estou muito revoltado. Não tenho energias para continuar estudando, não consigo emprego e não consigo pegar no material de Unity 3d que poderia me dar outro caminho para trilhar. Ficar nessa paralisação me consome financeiramente e mentalmente.

    Fez bem em sair dessa desgraça.

    Abraços e sucesso financeiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu fosse você me tornaria eletricista ou algum tipo de prestador de serviço em uma área com demanda.
      A venda de respostas e esse negócio de não chamarem todos os aprovados pra lucrar mais com concursos é revoltante. As pessoas decentes correm um risco maior de ter câncer e infarto no Brasil.

      Amo o Brasil mas sou muito grato por tê-lo deixado para trás.

      Excluir
    2. Você sabe, PS, eu tento ser positivo e alegre aqui, mas o Brasil estava prejudicando minha saúde e a da minha mulher. O Brasil infelizmente não é um lugar para se viver. Não quando você visita outros e tem uma visão diferente para sua vida.

      Excluir
  7. Meus post sobre mais ou menos isso

    https://lawyerinvestidor.blogspot.com.br/2017/02/parasitas-estatais.html

    está ai a realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá lawyer, eu li e preferi não comentar na época. Assim como aqui prefiro não falar do que sei pois é muita falcatrua e não é meu objetivo hoje.

      Coisa de, por exemplo, determinado órgão público ter um prédio alugado por 8k ao mês e não fazer a mudança pro novo local por ninguém ter a responsabilidade.
      Coisa de o controle de ponto ser por caderno e alguns servidores só aparecerem pra assinar.
      Coisa de cara que passou um meses em casa e não foi demitido por fingir doença mental.
      Coisa de gente que não sabe imprimir e ta lá pra cumprir horário.
      Por ai vou até amanhã.

      Excluir
    2. Lembrei de uma foda. Um amigo trabalhou em uma prefeitura e dizia que muitos não faziam nada. Nada mesmo, nada.
      Outro amigo era CC na câmara de vereadores da nossa cidade e dizia que não se fazia nada, mas ai não me impressiono porque vereador nem devia receber pelo que faz.

      Excluir
    3. Já vi pessoas não irem trabalhar por 3 meses sem motivo algum, com aval da chefia.

      Excluir
    4. Isso é bastante comum na esfera pública.

      Excluir
  8. Buenas, CF! Até hoje fiz um concurso público e te digo, não perdi nada em não ser aprovado. Obviamente não dá para generalizar que todos os funcionários públicos são ineficientes, mas acho que todos os órgãos públicos são.

    Tenho conhecidos e até parentes que são funcionários públicos e dividem-se em dois grupos: os parasitas que não fazem nada; e os que querem fazer algo mas o sistema parasita os impede. Sendo assim, na prática a produtividade é a mesma.

    Eu, já gosto de fazer o meu salário, assim, quanto mais produzo, mais ganho! Sem mimimi, levantar cedo e ir trabalhar, simples assim!

    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As reclamações de minha mãe eram que existia esses dois tipos. Ela trabalhava em um órgão altamente burocrático e político, de professores.

      Esse meu amigo vivia contando absurdos da adm pública, mas quando alguém ds fora criticava ele defendia. Foi assim até sair. Agora só critica.

      Também prefiro fazer meu dinheiro, e olha que sou operário de construção civil hoje em dia. Mas setor privado não tem teto. Sou livre, dono da minha vida e um vencedor.

      Excluir
    2. Desculpe, setor privado tem teto sim. Ele se chama impostos e é instituido por políticos totalmente inúteis. Quanto mais se ganha, mais se põe dinheiro no bolso de funcionários públicos que não fizeram nada no seu trabalho.

      Excluir
  9. Cara, concurso público é uma solução paliativa para quem perdeu chances na vida privada ou não conseguiu se estabelecer, tenho um primo que passou no TJSP, começou a trabalhar muito e com afinco, ai chegaram nele e falaram para pegar devagar, senão ia sobrecarregar outros setores, ou seja, eles próprios fazem o ritmo ficar devagar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi várias vezes isso do "ir devagar", ou fazer "operação padrão".
      Só discordo que seja paliativo, depende do que você deseja alcançar. Vou te dar um exemplo:
      O jovem que consegue se tornar Aspirante do EB aos 18 anos, fica 8 anos (temporário) ganhando 5k, dependendo de suas escolhas está com a vida financeira garantida e aprende coisas uteis pra enfrentar a vida.

      Excluir
  10. Eu sou servidor público federal a 10 anos, tenho 32 anos, entrei cedo, estou no meu 3° cargo e vou lhe dizer uma coisa: não tem um dia que eu não pense em sair.
    Fico pensando em ter que ficar mais 30 anos fazendo o que faço, me deixa deprimido.
    A única coisa que me segura é que ganho um bom salário, que me possibilita poupar uma boa parte e ainda ter um bom padrão de vida.
    Eu tenho que fez um bom patrimônio comprando terreno e construindo casa pra vender. Faz isso a anos e hoje ele disse que o salário é uma pequena parte da renda dele. Deve tá milionário já que só de salário ele ganha uns 15k líquidos.
    Eu penso em fazer como ele, investir em algo e se eu conseguir fazer um bom patrimônio, caio fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Você deve ser a sua própria empresa. Desenvolver-se todos os dias em coisas diferentes. Você não é seu emprego.

      Aproveite a oportunidade, invista e fique rico.

      Excluir
  11. qualquer idiota passa na prova do BB. Se vc não passou, vc é a pessoa mais burra do planeta! empreender? kkkk no máximo vai ser um feirante kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Admiro muitos feirantes. São pessoas bastante trabalhadoras.

      Excluir
    2. 03:34 você não leu o texto?

      O CF passou, não foi chamado.

      E outra, feirantes não são burros, são pessoas honestas, trabalhadoras e de muita coragem, acordam de madrugada para levantar suas barracas, faça chuva, sol, frio, calor, feriados, mas sempre estão lá.

      Seu comentário foi infeliz, apenas expôs o seu analfabetismo funcional, desconhecimento da realidade e preconceito.

      Excluir
    3. Conheci alguns que viviam na zona rural e tinham uma vida boa.
      Outros que tinham banca de feira na cidade, viviam com um bolo de dinheiro no bolso e tinham casas de dois andares. Haviam saído do nada.

      Criticar alguém por sua profissão é ridículo, principalmente quando for algo honesto e que dependa do seu próprio trabalho.

      Excluir
    4. Ah, vi agora de onde ele tirou sobre a empresa.

      Comentei que o cara ali deveria se ver como sua própria empresa e se desenvolver, e não que deveria necessariamente largar o emprego para abrir uma empresa.

      Excluir
  12. é CF, tentei PRF logo quando fiz 18 anos.
    Por muito pouco não passei e acho que isso fez mt diferença na minha vida.
    Fiz um post sobre isso no meu blog e choveu gente me detonando.

    Tenho um amigo que era o melhor aluno do colégio e também do Direito. Passou na PRF, e está lá até hoje. Encardiu lá dentro, parou de estudar e atrofiou. Poderia ser um juiz hoje ou um advogado dos bons, daqueles que ganham os tubos. Hoje em dia reclama que o dinheiro da PRF não é mais corrigido e não dá mais pra nada.

    Num país como o Brasil, assolado pelo PT e pelo socialismo, concurso público virou religião. O governo retira a dignidade das pessoas, as impede de achar que podem viver SEM ELE.

    "Olha só, como esse desgraçadinho acha que pode viver sem mim? O rei da folha da máquina estatal? Quem ele pensa que é?"

    Ademais, a tal da estabilidade e aposentadoria publica garantida são pura farsa. Só se dá bem juíz, desembargador, político, milicos de alta patente e auditores da receita. O restante e a esmagadora maioria da baixa casta de funças federais, estaduais e municipais estão todos lascados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Frugal,
      Pena que seu amigo não aproveitou pra crescer. Virou o típico funça.
      Acho que a aposentadoria deles é garantida. Eles tem as armas e a impressora.

      Excluir
  13. CF,

    Bom relato. Já fi concurso do BB, passei, fui chamado e não assumi.

    Mas, sou funça do governo.

    Eu não me sinto ofendido quando é criticado o funcionalismo público, pois só não vê que o governo é um sugador de riqueza da sociedade quem não quer.

    Eu reagi ao incentivo que temos no país. Vi que bastava estudar uns meses e ganhar uma boquina estável e com bom salário. Claro, isso tem um preço, pois sou muito infeliz no trabalho.

    Ainda tenho esperança de um dia sair do quadro de funças do estado.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Magrão, você compreendeu o que quis dizer neste post. Fez muito bem em buscar um salário melhor para financiar seus sonhos. Quando estiver pronto espiritualmente, largue esse lixo e vá trabalhar em algo que gosta.
      Grande abraço

      Excluir
  14. Olá CF

    Eu já fui funcionário público como voce deve se lembrar mas ocupei o cargo mais baixo da hierarquia publica, ou seja, serviços gerais de prefeitura. Garanto que até entre os peões há descaso e falta de interesse em prestar um serviço de qualidade. Claro que isso não se estende a todos.

    O fato é que comecei pelas vias erradas, hoje trabalho na iniciativa privada e uso das ferramentas R$ que disponho para tentar melhorar de vida. E concordo com sua visão de buscarmos tirar proveito das oportunidades que aparecem para alavancarmos nossa vida financeira. Se no momento em que se vive a melhor opção é o cargo público, bora lá estudar. Caso seja na iniciativa privada, bora lá se preparar. O que não podemos fazer é ficar presos a paradigimas e amarras sociais que muitas veses impedem a pessoa de buscar uma melhor colocação na vida.

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela opinião meu amigo Centavos. Lembro que você foi coveiro salvo engano.
      Não importa no que for, devemos nos desenvolver e nunca se acomodar como você disse. Abraço

      Excluir