segunda-feira, 20 de junho de 2016

Vivendo em Portugal - O resultado de uma visão.

Bem amigos, como o Burguês Inglório adivinhou (não sei como), estou vivendo com minha esposa em Portugal. Acho que me denunciei quando disse que se abre empresa em um dia e tem o custo de vida bastante baixo. Vou falar como esta saga começou:

Logo após me formar na faculdade, parti para estudar um semestre de inglês na Irlanda (que na minha opinião é uma porcaria de país - principalmente o clima podre e a falta de educação de muitos dos nativos). Vou deixar para contar minha experiência lá em outro post mas mesmo assim ao chegar no Brasil senti uma quase-depressão com os pormenores do meu dia a dia, desde ver calçadas quebradas e marginais pra todo lado começaram a me dar uma perspectiva de futuro ruim. Tudo me incomodava. A voz das pessoas, os programas de televisão, o modo de agir, até o cheiro.

Pesquisando por ai vi que esta "depressão" pós-retorno é até comum. Então comecei a pesquisar maneiras de ir embora definitivamente. Na época até a Africa do Sul parecia me servir! Arrumei um trabalho (era legal) mas com o passar do tempo vi que no Brasil teria que trabalhar o triplo para ter a metade do que teria lá fora (sei que falar não convence mas é sério). Principalmente por "ser formado" possuir o "intercâmbio mágico" e receber menos de R$ 1000,00 por mês. Se quiser saber como foi, clique aqui.

Colocarem um cara que eu considerava medíocre depois de tudo o que fiz para ser meu chefe (sei que todo medíocre pensa assim também) foi importante para eu visualizar meu futuro como empregado brasileiro.

A visão que havia construído para mim mesmo começou a ficar totalmente dissociada da minha realidade e das minhas perspectivas.


Me sentia acorrentado durante o trabalho.


Minhas primeiras pesquisas para imigrar se deram por meu avô ser descendente direto de portugas e ter mantido contato por cartas com uns parentes dele desde os anos 70 ou 80 (entraram em contato com ele para que ele abrisse mão de uma herança hahahaha!). Ele era muito orgulhoso por seu avô ter ido sozinho com 12 anos para o Brasil em um navio inglês e ter se tornado importante na nossa região. Tornou-se mascate, político e até militar, e portugueses adoram tudo ligado à comércio e aventuras além mar.

Infelizmente meu avô não encontrava os documentos dos parentes dele (sumiram dos arquivos do velho). Seria muito trabalhoso e custoso correr atrás, e quando ele morreu ano passado perdi as esperanças (eu só conseguiria a cidadania se ele à tirasse pois a lei admite até o neto) por este modo.

Estudei várias outras maneiras, ir pro Canadá, Nova Zelândia, pra qualquer lugar, até para a PQP desde que conseguisse sair do Brasil. Em relação a isso, afirmo aqui como eu acho que as pessoas conseguem ir pra esses países legais: Simplesmente indo e ficando, do jeito que for. Renovando visto de estudante, de colhedor de fruta, casando com alguém, sei lá. Leia aqui minha opinião sobre se vale a pena morar como ilegal em outro país.

Se você esperar pra aprender todo o processo desde o Brasil, nunca vai conseguir se enquadrar em nada.



Vito Andolini não se tornou o Godfather
como empregado na fruteira.


Eis que a família toda da minha esposa tinha cidadania italiana, menos ela (ela é órfã). O processo todo estava pronto, só faltava reunir a papelada (atestado de óbito e casamento dos pais dela até o primeiro italiano da família que foi pro Brasil (desde que ele não tivesse revogado seu status de italiano pra exercer cargo público no BR), traduzir e esperar. Teríamos de esperar cerca de 12 anos caso ela não tivesse uma prima morando na exata cidade onde saiu este antepassado (se for para lá demora poucos meses). 

Quando Descobri que quem fez todo o processo do resto da família havia sido o pai de um amigo pessoal, quase caí da cadeira. Ele gentilmente nos auxiliou com as traduções juramentadas e muitas dicas importantes sem cobrar nada. Bombardeei o velho de perguntas e corri atrás do que precisava. Sou grato pelas pessoas importantes da minha vida. Sim amigos, tive sorte... Muita sorte.

Faltava uma coisa para tudo dar certo, com ou sem cidadania: minha esposa ter uma visão de si fora do Brasil. Eu nunca quis forçar ela a acreditar no meu projeto, mas tinha confiança que ia em algum momento compartilhá-lo.

O tempo passou e a vida se encarregou de dar a ela perspectivas ruins da vida no Brasil. Ela é engenheira, tem um ótimo currículo, mas nunca gostou da ideia de trabalhar em uma fábrica imunda e barulhenta, longe de casa e vivenciando a corrupção estatal-empresarial como rotina. Na verdade ela era paga para controlar processos que podem matar consumidores caso não sejam cumpridos e era constantemente pressionada pelos chefes tetudos para ignorar práticas tóxicas e nocivas.

Com a falência do estado brasileiro e o aumento da criminalidade da última década causado única e exclusivamente por culpa do PT e seus aliados comunistas, casos de violência estavam comuns no caminho para o trabalho dela e nas regiões onde ficam fábricas. Também estava na hora de, se ficássemos no Brasil, buscar melhor qualidade de vida e talvez comprar uma casa, então estávamos em uma encruzilhada. Nos últimos dois anos ela sofreu tentativas de assalto à mão armada (pessoas andando com metralhadoras na periferia não eram comuns fora do RJ até onde sei) então finalmente optou por usar seu trunfo.

Isso nos deu um pouco mais de um ano para deixar os empregos, organizar as finanças e partir. A única coisa que faltava era escolhermos o país mais apropriado para investir o resto de nossas vidas (se é que isso existe).


I did it my way


Ao contrário do que se diz de não contar sobre seus projetos (geralmente se você conta eles não dão certo), resolvi expor tudo inclusive no trabalho pois sabia que uma decisão dessas não tinha volta. Isso foi importante pois quando se expõe um projeto a pressão para que ele dê certo é bem maior.

Inevitavelmente dois tipos de pessoas deram suas opiniões, as favoráveis e as contrárias. Quem deu opinião favorável geralmente tinha vencido na vida e quem deu opinião negativa era pobre e medroso. Gostei de comparar a opinião das pessoas com a vida que levam.




No começo nos interessavam países de língua inglesa e não os que tivéssemos que sofrer para aprender a língua, porém também nos agradava a ideia de viver na Holanda, mas levando em conta que ir para o Reino Unido destruiria minhas finanças e a maioria dos países europeus tem um clima PÉSSIMO, colocamos na balança nossas opções levando em conta o que valorizávamos e o país que obteve os melhores resultados foi Portugal. Levamos em consideração:

Segurança;
Transporte público;
Custo de vida e poupança;
Clima;
Língua e facilidade de adaptação cultural;
Emprego e sub-emprego;
Facilidade de empreender;
Hospitalidade (na verdade, pessoalmente não estou nem aí com qualquer preconceito à mim);
Diversão barata ou gratuita (de preferência ligada à praia, natureza, história e arquitetura antiga).


Admiro os grandes navegadores portugueses.


Outras questões de ordem pessoal também foram levadas em consideração, até decidirmos que este seria nosso novo lar. Portanto a esposa largou seu emprego e ficou cerca de 3 meses na casa da prima (tinha que passar um guardinha e ver que ela estava morando por lá).

Eu também já havia largado meu emprego e vim à Portugal (ou como dizem aqui, ao Portugal), esperei ela menos de um mês e deu tudo certo. Ela já está legalizada e marquei para novembro a questão de ficar como residente através de reagrupamento familiar.

Contei sobre minha chegada à Europa aqui.

Temos um amigo que estuda aqui, que deu abrigo até eu achar um apto. Tivemos sorte de conseguir um amigo dele como fiador (nessas horas se vê que network é um dos maiores ativos que existe).

Como são os portugueses?

Sabe essas piadas que muitos brasileiros pilantras fazem sobre português ser burro? É ridícula. Os portugueses em geral são extremamente éticos e corretos. Já notei que aqui vale o contrato e eles parecem segui-lo mesmo que saiam perdendo. Isso é ser burro? Quando você combina algo ou está em uma fila de espera, eles não querem saber se você é chinês, americano ou portuga, e te levam a sério. Inclusive quem quis nos dar um golpe aqui foi um brasileiro (daqui a uns dias falo disso).

Não adianta tentar enrolar os caras ou dar jeitinho, eles gostam de te olhar nos olhos e cumprir o que combinaram. Se o cara deu um preço X o preço é X pra todos e não vai te favorecer se você oferecer X+1. Sei que são estereótipos, mas a família do meu avô era assim.

Comparar o conhecimento de um português médio com um Brasileiro é maldade. Os caras sabem mais história e política que um brasileiro comum com formação universitária.

Emprego tem, como em qualquer outro lugar, só estar disposto, e não parecem querer embaralhar currículos, pois tem gente de tudo que é lado. Se importam com o que você sabe fazer mais do que com a papelada.


Uns choram, outros vendem lenços.


Comida aqui é "de graça" e o custo de vida em geral é bem baixo. Tem carros usados em bom estado por 1000 euros, muita opção cultural gratuita e locais lindos para visitar. De qualquer modo não recomendaria ninguém se aventurar sem ter pelo menos 12 meses de contas pagas (nos valores daqui). Existem pessoas e pessoas. Alguns são mais lentos, feios, otários, burros, e outros mais espertos e sortudos e resolvem sua vida mais fácil. Eu recomendo se preparar como se tudo fosse dar errado.

Pelo que estou vendo as portas estão se fechando cada vez mais para nós brasileiros. Conseguir o NIF (o CPF daqui) está quase impossível para quem não tiver contrato de trabalho (e isto te impossibilita de arrumar um emprego formal). Para quem tiver estômago para negócios e quiser vir, eu recomendo entrar em contato com associações comerciais e dissecar as alternativas de vir como investidor. Portugal é um lugar muito atrativo para quem quer abrir uma empresa e assim se consegue visto.

Meu próximo passo é abrir minha própria empresa. Já entrei em contato com fornecedores e faltam alguns pormenores. Aqui se abre empresa em um dia e no outro se começa a trabalhar. Infelizmente não tenho direito à isenção de impostos (tinha ouvido dizer que chineses tem). Para isso, só espero mudar para nosso apto definitivo pois estamos em um kitnet (já serve, mas temos dois gatos e queremos mais espaço).

Minha esposa já está empregada e não foi difícil encontrar. Vai fazer 700 euros, que é um salário legal aqui. Isso já paga aluguel, comida e todas as contas. Estamos muito felizes pois tudo deu certo até aqui.

Se tudo der certo, a partir do ano que vêm vou começar a ajudar meus amigos que queiram viver em Portugal legalmente. Sempre foi um dos meus objetivos auxiliar pessoas que trabalham duro e sonham ter uma vida melhor.


51 comentários:

  1. Muito legal.

    Sucesso no novo país.

    Depois conte sobre o custo de vida. Acho que é a maior que nós temos sobre outros países.

    Se houver algo que eu possa contribuir, é só perguntar.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seu site é muito interessante.

      O custo de vida aqui é baixo, principalmente no interior. Os preços dos imóveis são incrivelmente baixos e existem muitas pexinchas, além do financiamento com juro ridículo.
      Alimentação eu considero praticamente grátis... Transporte é eficiente e tem planos interessantes que se encaixam nas suas necessidades.
      Muita diversão barata ou grátis pra quem gosta de arquitetura e história. Podemos visitar castelos e museus diferentes toda semana por muito tempo. Também é barato viajar pela Europa.
      Tudo isso vou falando ao longo do tempo.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Muito bom.

      Se puder ser bem detalhista com os preços, seria bem útil.

      Ao invés de dizer por exemplo "alimentação é barata", poderia falar o preço exato do quilo do arroz, feijão, da carne, do pão, etc.

      Não sei a região em que você está, mas o Algarve, ao sul, é cotado como um dos melhores lugares do mundo para viver.

      Abçs!

      Excluir
    3. Olá II, meu laptop vai passar uma semana no conserto, prejudicando um pouco os posts, e por isso também não postei no outro Blog que criei a pouco sobre a vida aqui em pt.

      Em breve farei um post detalhando bem os custos de alimentação. Enquanto isso você pode buscar no Google pelos sites dos mercados que todos tem os folhetos de ofertas semanais.

      Estou na região de Lisboa.

      Excluir
  2. Oi CF.

    Parabéns pelo texto e pela coragem e iniciativa de mudar sua vida.

    Adoro viajar. Sempre que viajo e conheço lugares novos, bem organizados, limpos, seguros e com gente educada e correta sinto vontade de deixar o Brasil e morar fora. Lendo o que escreveu lembrei deste sentimento.

    Minha esposa tem muita vontade de morar fora. No meu caso a estabilidade do sucesso financeiro e profissional jogam contra eu largar uma situação muito cômoda e confortável, arriscando uma vida nova longe daqui. Um dia tomo coragem...

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente nunca sabe o futuro, é bom sempre considerar a possibilidade, mesmo que remota de deixar o Brasil.

      O Brasil é um país bom, pena ser tratado como lixo e ter muito bandido. Em Portugal existe um negócio de aceitar aposentados de outros países, apenas comprovando uma certa renda mensal. Eu acho muito recomendável ver isso, pois é um país muito bom para aproveitar a velhice.

      Excluir
  3. Sou seu leitor e acompanho sua saga. Minha família e eu estamos planejando sair como empreendedores individuais e tentar o tal do visto D2. Parabéns pela caminhada e nos vemos em breve :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte Felipe! Portugal é muito amigável para empreendedores. Entre em contato com uma associação comercial e peça informações para não ter erro!

      Excluir
  4. Tenho cidadania portuguesa, será que é fácil conseguir emprego na minha área? (eng civil).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se é fácil. Você tem como comprovar experiência?

      Talvez hoje seja seu dia de sorte:

      http://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/acordo-entre-a-oe-e-confea-do-brasil-entra-em-vigor-a-partir-de-15-de-abril/

      Excluir
  5. O pessoal fala que a Europa vai virar um "grande pais" muçulmano, o que tem a dizer sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pessoal fala muitas coisas.
      O perigo existe, e isso tudo é estimulado pela Rússia que quer aproveitar que a Europa tem muitos esquerdistas multiculturalistas para incentivar a migração em massa e destruir a economia, tornando a UE menos independente e mais frágil ao Pushing chinês e poder energético Russo.

      Os árabes já tomaram metade da Europa no passado, e foram vencidos. O que uniu os europeus contra as invasões vikings e árabes foi o cristianismo. A esquerda o atacou tanto nos últimos dois séculos que duvido que este será um fator para vencer a islamização da Europa no futuro.

      Pessoalmente acredito que o mundo precisa de fronteiras e homens armados em cima delas, sem medo de atirar. O islamismo já provou ser a religião do ódio, uma cultura atrasada do século XII que precisa ficar do lado apocalíptico do muro.

      Eu não sei o que vai acontecer, mas estamos sempre a uma geração de perder a liberdade, e liberdade uma vez perdida, é perdida para sempre.

      Excluir
    2. CF,

      Esse é o meu maior receio em relação a Europa.

      Apesar de que, como Portugal é o país mais ocidental da região, creio que seria o último foco de resistência, juntamente com Irlanda/Reino Unido...

      Abraços.

      Excluir
    3. A esquerda emasculou os europeus por décadas. Agora é rezar pra que haja resistência.

      Excluir
  6. CF,

    Muito inspirador seu post. Estou na torcida e no aguardo sobre o andamento de sua empresa.

    Me identifiquei bastante com sua depressão pós-retorno, mesmo nunca tendo saído do país. Ultimamente —e isso tem aumentado a cada dia que passa—, tenho ficado extremamente irritado situações rotineiras que ninguém se incomoda, como por exemplo no trânsito, que é um retrato perfeito da falta de educação do brasileiro. São diversas situações, como: entrar na frente sem dar seta, estacionar em fila dupla na maior tranquilidade, ocupar a pista da esquerda dirigindo vagarosamente... e as duas que me tiram do sério:

    1) muitas vezes eu me mantenho antes do semáforo (mesmo aberto) para não fechar o cruzamento, quando vejo que não será possível atravessar para o outro lado da pista. SEMPRE que faço isso, um filho de uma puta em alguma das pistas laterais entra em minha frente pouco se importando com o cruzamento e com sua falta de educação.

    2) diversas vezes, quando há uma fila para fazer conversões à esquerda, alguém passa a fila pela direita e tenta "encaixar" o carro logo atrás do primeiro a realizar a conversão. Sempre que isso acontece e eu sou o segundo da fila, eu simplesmente atiro o meu carro em cima do filho da puta, mesmo correndo um risco real de bater.

    E isso é apenas no trânsito, são muitas outras situações que me fazem pensar que simplesmente não dá, eu não nasci para viver aqui. Porém, não consigo levar à frente meu desejo de sair do país por dois motivos: meu pai e minha mãe. Acho que minha ausência e distância faria muito mal para ambos. Então, é isso, e apenas isso, que me trava. Por mim, já estaria muito longe. Deve ser uma sensação maravilhosa morar em um lugar que respira civilidade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O trânsito é um grande cartão postal negativo do Brasil. Carros na mão do brasileiro são armas. Existe uma indústria de multas mafiosa, fora que os carros brasileiros são uma versão porcaria dos lançados aqui fora.
      Com seu relato tenho a certeza de que se você por o pé fora do Brasil, vai colocar a saída definitiva nos planos...

      Eu coloquei como meta viajar ao Brasil a cada 3 anos para não ficar aquela coisa de ter abandonado a família e os amigos. Eu gosto de muita coisa no Brasil, só não me vejo mais morando lá.

      Sim, a sensação de ter chegado aqui é maravilhosa, mas mais pelo dever cumprido, pois a gente tem que ser feliz não importa onde (sei que é um puta cliché engolir essa).

      Excluir
  7. CF,

    Obrigado por compartilhar a sua experiência conosco!

    O português de Portugal dá para entender direitinho?

    Fiquei curioso também em relação ao seu comentário sobre a Irlanda. O que aconteceu de ruim lá?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá pra entender tranquilo ao vivo. Tenho um pouco de dificuldade de conversar ao telefone, principalmente com mulheres, que me parecem menos preocupadas em te passar uma informação.

      Não aconteceu nada de ruim comigo, na verdade me dei bem lá pois arrumei trabalho rápido. O que achei ruim foi o clima péssimo (chove TODOS OS DIAS) e a falta de educação dos mais velhos com quem tive contato. Também é cheio de brasileiros fanfarrões otários por ter língua inglesa. Vou fazer um post completo sobre isso.

      Se eu tivesse escolhido ir pro Canadá ao invés de ir para lá possivelmente hoje estaria morando no Canadá pois estudar lá conta pontos. Não sei se seria melhor, mas é isso.

      Excluir
    2. CF,

      Entendi, obrigado pelos esclarecimentos.

      Sei que você chegou aí há pouco tempo, porém, como é a VIDA em si em Portugal?

      Eu, ao contrário de você, acho o Bostil um grande depósito de lixo, e tenho o objetivo de ir embora daqui.

      O meu sonho é ir LEGALMENTE para os EUA, porém, eu aceito a Europa de bom grado, rs.

      Abraços!

      Excluir
    3. A vida aqui é ótima, só vendo para crer. Sinceramente? Não troco Portugal por nenhum outro país da Europa. Aqui geralmente se acorda mais tarde, existe conforto e tecnologia, porém também educação, cordialidade e beleza em tudo. O padrão de qualidade das coisas é maior (não como na Alemanha, lógico).

      Eu gosto da história do Brasil, da exoticidade e exuberância da natureza e de algumas culturas... Se for comparar atributos mais palpaveis o Brasil está na idade da pedra e tudo dá errado ai (sonhos de vida destruídos) e caso não haja uma guinada economicamente liberal sempre vai dar.

      Cara, eu tenho bem claro o que mais valorizo para ter qualidade de vida e sempre cito esses três atributos em que Portugal está no topo: preços baixos, transporte eficiente e segurança.

      Eu penso que a maneira mais fácil para vires legalmente é entrando em contato com alguma associação comercial e se informando sobre como abrir uma empresa aqui. Você vai se surpreender como é pouco burocrático o processo.

      Excluir
    4. CF,

      Bacana, obrigado pelo retorno!

      Eu, particularmente, estou em busca de QUALIDADE DE VIDA.

      Não faço questão NENHUMA de ganhar milhões por mês e ter uma vida infeliz.

      Dessa forma, na questão da imigração para a Europa, as minhas opções seriam Reino Unido ou Irlanda.

      Porém, depois dos seus comentários, estou analisando Portugal com carinho...

      A propósito, o que os portugas acham do nosso país? E dos bostileiros? É verdade que as mulheres tem fama de garota de programa?

      Abraços!

      Excluir
    5. Até agora fui bem tratado por todos, e não parecem falsos. Tive contato com dois portugueses que comentaram ter esposa brasileira e outro que viveu no Brasil na infância. Os portugueses tem uma ligação muito mais próxima com o Brasil que nós brasileiros imaginamos. Aqui tem Globo e Record e eles conhecem todas as novelas e seriados imundos do Brasil... Já vi um comentar sobre o "Cidade Alerta" (disse que nunca iria ao Brasil por ter assistido ao programa). Algumas associações comerciais surgiram justamente quando o Brasil se tornou independente, para se manter o vínculo comercial. Na televisão passam notícias das ex-colônias portuguesas na Africa e também do Brasil como se fossem aqui do lado...

      Vi em um fórum alguns comentários depreciativos sobre nós e sei que existe essa fama da brasileira vir pra cá se prostituir, acho bastante lógico já que uma GP pode vir pra cá como turista, se instalar em qualquer lugar, faturar 4x a grana que ganharia no Brasil e voltar todo ano, mas sinceramente, eu não estou nem ai para preconceitos. Já passei todo tipo de preconceito no Brasil quando era pobretão, vivia no interior, me vestia mal, não tinha educação... E hoje estou cascudo.

      Alguns já estão de saco cheio de brasileiros pedinchos (muitos brasileiros adoram falar que são cheios de problemas e se fazer de coitados) e já vão avisando tudo quando notam seu sotaque... Por exemplo quando você liga para um anúncio de apartamento a pessoa (geralmente quando uma mulher atender) já avisam: "precisa de fiador, caução, blablabla" por que é difícil brasileiro ter fiador, então eles já avisam de cara.

      Uma senhora que nos atendeu em um órgão público comentou que os portugueses não tem tido filhos pois preferem ser capazes de dar um bom futuro à prole, mas os imigrantes árabes e africanos estão se lixando e são cheios de filhos... Falou com um pouco de tristeza e rancor. Quando o brasileiro aqui vira as costas e vai embora certamente ela fala algo de nós também. A vida é assim.

      Eu acho normal um certo nível de preconceito, do mesmo modo que os brasileiros não gostam dos haitianos, colombianos e toda essa gente que entraram de qualquer jeito no Brasil, o português também não deve gostar, mas não esqueça que a Europa já foi invadida milhares de vezes e os povos de todos os países já trocaram de nome uma centena de vezes... O próprio Portugal era ocupado por mouros e outros povos no passado. Tiveram colônias na China, Índia e no resto do mundo inteiro (portanto tem gente de outras raças aqui desde antes do Brasil existir) Os europeus estão acostumados a ver gente de tudo que é lado, não é fenômeno recente, e cara, se um português se sentir mal porque um brasileiro que veio legalmente estiver aqui ele que vá pra PQP.

      Eu pago por tudo o que eu uso e não vim pra cá viver de esmolas do governo.

      Na Inglaterra você certamente sofreria menos preconceito que na Irlanda... Lá sim você é tratado como a escória. Pelo menos é a impressão que tive (meu post vai ser bem completo).

      De qualquer modo, seja onde for que você pretenda chamar de lar, preocupar-se com o que os nativos pensam ou deixam de pensar não importa (desde que não prejudiquem sua vida, claro).

      Vamos mantendo contato, pergunte o que quiser sempre.

      Excluir
    6. Ah, essa fama que recai sobre algumas brasileiras parece ocorrer nas que vêm pra cá sozinhas. Não tive contato com esses comentários ao vivo, só li a respeito.

      Excluir
    7. CF,

      Interessante, rs.

      Novamente, agradeço pelas informações prestadas!

      Fico aguardando agora o post sobre a Irlanda.

      Abração!

      Excluir
  8. Amigo possui um patrimônio de 3.500 milhões reais, e quero sair do Brasil com minha família mulher e 2 crianças estava pensando no EUA, vc acha que para família Portugal é uma opção mais viável?? Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei dizer, Anôn, cada caso tem suas peculiaridades. Não entendi o quanto de dinheiro você tem, mas isso é uma das coisas que menos importa para se escolher outro país.

      Assim por cima, Portugal certamente oferece uma adaptação mais fácil para uma família brasileira.

      Nunca estive nos USA mas se pudesse viveria lá antes de qualquer outro país do mundo. Nada se compara aos Estados Unidos.

      Land of the free and home of the brave... Estados Unidos está um patamar acima do resto.

      Excluir
  9. CF,

    Texto excelente, pra variar.
    Ta bem complicado para conseguir mudar de páis ultimamente. Parabéns pela luta e pela conquista!
    Só tenho uma curiosidade, eu particularmente acho que o Brasil é um país bom pra se investir. O que você acha da idéia de trabalhar e viver em um país com moeda forte e usar o excedente para investir no Brasil?
    Aguardo novos posts!

    Bons ganhos e um grande abraçoo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Burguês, você é vidente? Estava pensando exatamente em escrever sobre isso, a "Estratégia Cambial". Pessoalmente acho uma grande ideia e incentivo meus amigos a viajar pelo mundo (ou trabalhar pela internet) ganhando dinheiro em uma moeda forte e mandando para casa. Muita gente já comprou a casa própria limpando vaso fora do Brasil.

      Levando pra termos puramente financeiros, para juntar 1000 reais por mês aqui na Europa é barbada. No Brasil quantos são capazes disso? Ainda mais com pouca qualificação.

      No Brasil que mais tem é cara com faculdade que não consegue juntar 500 reais por mês (já fui um deles).

      Excluir
  10. Eu nem te conheço, mas esboço um sorriso de alegria pra cada caso que vejo de gente que cai fora por realmente entender a merda que é esse buraco aqui.

    Que bom que tenha dado tudo certo. Só peça que não esqueça de nos manter informados sobre o país por um ótica realista, isso é vital para motivar os outros.

    Já morei fora durante um intercâmbio e sempre quis ir embora, mesmo antes de sair. Cogitei Portugal, mas as previsões para o futuro da UE são realmente tenebrosas. Minha meta primária é Austrália ou NZ por supostamente importarem profissionais, por último os EUA e o Canadá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um amigo na NZ, não quer mais voltar...
      Vou manter contato pelo blog sim.
      Tomara que tudo de certo em sua jornada, fico na torcida. Obrigado por comentar!

      Excluir
  11. Muito bom CF,

    E que bacana sua esposa já estar empregada, e desejo muito sucesso nos planos com a empresa.

    Para quem trabalha e corre atrás, o sucesso é questão de tempo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Legal!

    Eu já sabia que era Portugal, pude perceber através do Google Analytics, mas como você disse que ia revelar o local em breve, não quis estragar a surpresa rs.

    Acho ótima a ideia de sair do Brasil.

    Aliás, desde adolescente eu penso nisso.

    Tem muito gringo agregado na minha família, acredito que eles encontrariam um trabalho no exterior para mim, e por muito tempo meu plano A era contar com a ajuda de um deles para sair fora da República das Bananas.

    O "problema" é que agora tenho minha própria empresa, e acredito muito no potencial de crescimento da empresa, então hoje em dia penso mais na possibilidade de enriquecer por aqui do que no exterior.

    Mas vamos ver, nunca se sabe o dia de amanhã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe mesmo anonimato na internet mais! kkk

      Madruga, eu comecei a ver empresas como investimentos, assim como qualquer CDB, Ações, etc. A diferença é que nas empresas você tem que trabalhar. Um dia sua empresa pode ser precificada pelo mercado ou pelos seus sócios e você fazer uma grana boa com ela, já ter sua IF e meter o pé no mundo...

      O dia de amanhã é um mistério mesmo.

      Excluir
  13. Parabéns pela conquista!!!

    O mais engraçado é que eu estava falando exatamente sobre Portugal com um colega de trabalho que tem a possibilidade de dupla cidadania.

    Quem me dera ter algum parente pra me puxar pra aí.

    A Europa pode estar uma merda, mas essa merda ainda é melhor do que ser chicoteado aqui por um prato de ração vencida, pois a boa já foi exportada e ainda por cima mais barata que nessa latrina.

    Se está ruim em um lugar é fácil se mudar pra outro, pois é europeu, agora que validade tem um passaporte viralatas igual ao do brasileiro (Simbolo da fanfarronice, malandragem e destruição)?

    Abraços e muitas felicidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha sempre me espanto como você é direto com as palavras. É isso mesmo, PS, se o país em que eu estiver explodir, vou pra outro menos pior, se for possível. Não por que se preocupar com isso... A gente faz o que pode fazer e pronto.

      Essa questão da comida no Brasil ser ruim e cara foi um ponto crítico na minha lista, ainda mais com uma esposa com experiência em fábricas de alimentos... Se eu contasse o que sei seria processado, mas a verdade é que no terceiro mundo as pessoas não só comem o que há de pior qualidade, mas comem coisas tóxicas.

      Por exemplo existe um lixo tóxico para aumentar o "shelf life" dos produtos (já feitos com o que há de mais podre e acondicionado onde tem ratos) que é abusado por empresários corruptos do setor. Cagam pra regulação, que na prática nem existe nos dias que não tem auditoria corrupta.

      Contrariando minha política de boa vizinhança e a mim mesmo que GOSTO DO BRASIL te digo, pegue uma balsa e vá ser mendigo em qualquer país de primeiro mundo, não crie seus filhos aí. Sabe porque eu vim embora AGORA? Por que se fosse ficar mais alguns anos ia "chegar a hora" de me afundar em um financiamento de 30 anos e ter um filho e me ancorar no Brasil para sempre.

      Desculpem a sinceridade!

      Excluir
    2. Desculpa nada, é pra isso que temos blogs.

      Que lugar melhor pra falar algumas verdades do que aqui.

      No mundo real (composto só de mentiras) se falamos a verdade, somos taxados como loucos, psicopatas e/ou mal amados.

      Abraços!!

      Excluir
    3. "No mundo real (composto só de mentiras) se falamos a verdade, somos taxados como loucos, psicopatas e/ou mal amados".

      A real sempre causa isso nas pessoas comuns mesmo.

      Ele levantou um excelente ponto e é algo que quero aproveitar pois ainda sou novo. Logo me formarei em engenharia e a princípio pretendo ser o condenado que não para o cu quieto pois viaja o tempo inteiro a trabalho ou até mesmo embarcado.

      Temos que aproveitar a juventude para sair por aí afora e ganhar dinheiro, depois dos 30(ou antes disso com mulher) a disposição e saúde já não são mais as mesmas.

      Excluir
    4. Que bom que você será engenheiro. Se tiver coragem vai ter uma vida cheia de oportunidades e experiências que nenhuma outra profissão apresenta.

      Na minha opinião, homem com diploma de engenharia só não vence na vida se for frouxo. A capacidade de criar valor é diferenciada. Até com uma assinatura conseguem.

      O antigo chefe da minha esposa entrou em contato, quer que ela organize uma papelada pra que a fábrica deles passe em uma auditoria. Vai ganhar uma grana de outro lado do mundo.

      Excluir
  14. Nossa... Voce me desanimou sobre a Irlanda.. Sou louco e apaixonado por esse país. Tenho muita vontade de conhecer e ficar uns tempos lá. Agora me deu um pouco de desânimo... Depois conte como imigrante é tratado lá pelos nativos...Ambiente lá, ganhar dinheiro, etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Vitor, tudo bem?
      Cara o que me incomoda na Irlanda é a falsa imagem que o país tem fora, criada pelos filmes de hollywood onde "ser irlandês" significa ser brigão e beberrão que sempre se dá bem em tudo. Eu diria que é uma vertente do "jeitinho brasileiro" e na verdade são traços culturais imundos. Fora um monte de coisas ruins.

      Peguei parte da resposta que estava lhe escrevendo para agregar no post sobre meu período lá.

      Excluir
  15. CF, Parabéns pela sua coragem e determinação em alçar novos desafios à sua vida! Ainda nao conheço Portugal, mas é um lugar que moraria com tranquilidade, mas o que você tem de sobra me falta que é tomar vergonha na cara e aprender de uma vez por todas que o Brasil não tem mais jeito e emigrar daqui o mais rápido possível.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Matheus, não sei bem o que dizer pois não sou exemplo para os outros. Não posso dizer aqui no Blog: "larguem tudo e venham!" pois isso não dá certo. Fico sem saber o que fazer!

      Uma coisa é certa, a vida aqui é mais fácil do que no Brasil, para mim. Tudo depende da sua situação aí e da sua própria visão de vida.

      Um abraço!

      Excluir
  16. Ola! Pelo que entendi, sua esposa tem cidadania italiana e por isso vcs conseguiram ir para Portugal? Minha esposa tambem tem, mas eu nao. Consigo morar legalmente ai?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato.
      Você consegue viver com ela aqui sim. É só solicitar reagrupamento familiar.

      Excluir
  17. BOM DIA..
    GOSTARIA DE TIRAR UMA DUVIDA..VCS FORAM COMO TURISTAS OU JA TINHAM CARTAO DE RESIDENCIA?
    CASO TENHAM IDO COMO TURISTAS FOI FACIL ARRUMAR EMPREGO OU SOFRERAM ALGUM TIPO DE BARREIRA EM VIRTUDE DISSO.
    DESDE JA AGRADEÇO O ESCLARECIMENTO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vim como turista, minha esposa como cidadã. Arrumar emprego formal como turista hoje em dia está muito difícil, você simplesmente não consegue mais autorização.

      Excluir
  18. Oi, bacana o seu relato!

    Pretendo ir com a minha esposa ano que vem, vamos abrir uma empresa e conseguir o visto D2 ainda no Brasil.

    Sabe se para trabalhar com contrato precisa do cartão de residência ou somente com o NIF eu já conseguiria trabalhar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rocha, lhe desejo boa sorte!
      Pra trabalhar com contrato precisa visto de trabalho ou cartão de residência. Não é mais possível ser contratado só com o NIF. Posso estar errado mas acho que não da não, está bem mais difícil. Acho eu que o caminho mais fácil caso você não tenha cidadania é através do visto de investimento abrindo uma empresa mesmo.

      Excluir