quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Jovens devem servir ao Exército Brasileiro?

Olá amigos, mais um post sobre como iniciar a vida profissional.

Tenho alguns posts que falam do EB e um deles é campeão invicto de visualizações, provavelmente pelo enorme mistério que essa etapa da vida carrega. Afinal, se trata de sair da casa dos pais, onde viver é de graça ou se exige pouco em retribuição e cair de paraquedas em uma caserna onde tudo é pago, de um jeito ou de outro, mais ou menos como na tal vida real. Se você servir compreenderá o que eu quero dizer.

Neste post vou tentar ser bastante direto, mas não esqueça que essas são minhas opiniões e podem não refletir sua realidade.

Bem, vamos lá.

Muitos jovens, que estão ali com seus 17 ou 18 anos são seres completamente inúteis. Mal estudam ou já terminaram a porcaria da escola. Se trabalham, não colocam muita grana pra dentro de casa. Desperdiçam tempo demais namorando com fracassadas e se associando com outros trouxas. Não sabem o que fazer da vida, e já não são mais criancinhas que não sabem o resultado de seus atos.

O pior de tudo nessa idade é a enorme propensão a fazer merda e estragar seu futuro tendo um filho, fazendo dívidas, usando drogas, escolhendo uma profissão terrível ou simplesmente perdendo tempo. São verdadeiras bombas relógio.

Você contrataria alguém assim? Eu não e nem a maioria. E é por isso que jovens não arrumam empregos tão fácil hoje em dia: Porque dar um emprego a um jovem é um gesto de amor e o amor já era na sociedade atual. Já que ele não sabe coisas que gerem valor com seu trabalho, nem carcaça tem pra aguentar trabalho duro, pouca gente vai dar emprego pra alguém sem experiência nem habilidades e muito menos vontade de aprender, até porque paga outro salário pro governo. 

Os culpados do filho ser um idiota, caso ele mesmo não seja um retardado, são os pais, escola e a Midia. Os culpados foram quem os educou sem bons valores e extrema disciplina. Mas isso não importa. Nem seus pais, nem a escola nem a Mídia e nem mesmo os políticos, que arquitetaram isso tudo, lhe devem nada. Você não acredita que ter estudado metade da vida e não ser capaz de arrumar um emprego que pague as contas tenha sido planejado por uma gangue engravatada? Sinto muito. 

Essa é a primeira coisa que você tem que saber: você é um idiota, sem nada especial e está sozinho no mundo. Pelo menos nessa idade, você ainda não tem valor algum e só dá prejuízo. Se olhe no espelho se você se acha esperto, dê três tapas na cara pra acordar, amigo. É pra esses que eu acredito que vale sim a pena servir ao Exército Brasileiro. No mínimo você estará em uma instituição respeitável pela primeira vez na vida.

Se esse é seu caso tenho mais uma má notícia: você provavelmente nunca teve um amigo de verdade até hoje. Se seus pais lhe dão tudo de mão beijada eles estão te prejudicando muito. Se te tratam mal, como muitos fazem, também. Amigos de verdade só se importam com seus interesses empresariais. Amigos de verdade querem que você se torne durão pra enfrentar a vida e eventualmente ficar rico. Querem que você vença nos negócios e não tenha pena de si.

O papel do pai na natureza deve ser esse. Preparar os filhotes pra sobreviverem de modo independente. Se tiver que dar uma surra pra que o filho aprenda a se defender de uma surra na rua, hey, pra mim é válido. Infelizmente a maioria dos pais hoje erra muito e forma filhos fracos e eternos dependentes. 

É aqui que entra seu novo melhor amigo, o Sargento. Sargento é o cara responsável por ligar o comando à tropa. Toda a hierarquia do Exército é importante, mas o Sargento é o cara que tem o papel de te mostrar o quão fraco, inútil, preguiçoso, inapto e asqueroso você é, e também o que você é capaz de se tornar. Com esforço seu, ao invés de odiar esse cara você deve ser esperto o suficiente pra aprender que o problema é você mesmo, e mesmo que não seja não adianta culpar os outros por nada.

No Exército soldados executam tarefas simples rotineiramente, e aprendem do zero. Tomar banho em 2 minutos, vestir-se em 45 segundos, comer o que tiver disponível, arrumar a cama, organizar o equipamento, tratar da saúde, manter-se sempre apresentável. Pasmem, dependendo do nível intelectual da turma terão até instrução de como comer com garfo e faca e mastigar de boca fechada. Aposto que você leu isso e achou tudo bobagem, enquanto come tranqueira com sua coluna torta na cadeira do computador. 

O salário do soldado do Efetivo Variável é terrivelmente baixo, mas se você é capaz de um  fazer um salário maior e vai correr atrás, pronto, nem precisa seguir lendo. Não esqueça que o ano de recruta é um curso e você está sendo pago com ensino também.

Assim como o empregado de fast food do post anterior, pagam fardamento. Denovo, para o pobre isso é acertar na loteria. Só quem gasta com roupas pra trabalhar sabe.

Come no quartel. Lembrem que comentei que quando criança pensava: "se esses caras que ganham dinheiro pro lanche poupassem, poderiam comprar uma fita de super Nintendo por mês!". No quartel é igual. O salário é baixo nominalmente, mas você pode guardá-lo todo pois não gasta em comida. Para garotos realmente pobres isso pode fazer a diferença.

Se precisar pode viver no alojamento. A chave pra ficar rico é manter sua exposição financeira baixa. Pense nisso.

Saúde - tem seguro saúde quase total e talvez o melhor do Brasil. Além disso tem que manter a forma. Quase todo quartel tem uma academia rústica com todo o necessário pra ficar com o físico respeitável. Os civis tem mania de achar que o grind físico do quartel é sofrimento e não pode ser transmitido pro mundo civil. Quer dizer, não é bom ai na sua área ter um físico imponente? Não precisa estar em forma pra executar seus hustles? Não precisa ter saúde? Não precisa ter a capacidade de defender seu patrimônio e sua família?

Molda o espírito e o caráter. Sem dúvidas quem quer e não for burro demais pra se associar com as pessoas certas, massifica valores decentes.

Recebe educação moral. Melhor que a que você recebeu na escola provavelmente é. Além disso você vai estar imerso em uma cultura positiva, que valoriza o esforço e despreza a preguiça, fraqueza e indisciplina. Não existe nada melhor que um lugar assim pra um jovem que viva em um ambiente cheio de disfunção e vícios.

Habilidades militares e de sobrevivência. O soldado aprende a usar variados armamentos e equipamentos, e a sobreviver no terreno de modo ardiloso.

No Exército provavelmente o soldado vai aprender um trade. Seja mecânica, construção, gestão, informática... Vai trabalhar em variadas seções e auxiliar em diversos processos diferentes. Alguns trabalham na área jurídica, comunicação social, médica, logística, financeira... Tem um monte de coisas pra fazer por lá. Vai muito do interesse do gajo, e claro, da sorte. O mundo não é totalmente justo. Os soldados do Efetivo Profissional também podem fazer cursos nessas áreas em diversas instituições civis que tem convênio com o exército. Um bom exemplo é o projeto soldado cidadão.

Vai participar de muitas aventuras que pro civil são bastante caras e fazer amigos pro resto da vida.

Nunca vi um militar multimilionário, mas se quiser saber mais sobre como eu vejo oportunidades financeiras no EB leia meu artigo de março de 2015 (os valores estão desatualizados e minhas opiniões podem não refletir sua realidade).

Não gosta de patriotismo, hino, bandeira, e essa coisa toda? Seus amigos esquerdistas falam mal das Forças Armadas? Não importa. A questão é que se você não tem um emprego, precisa de um. Além disso, você não tem que necessariamente gostar da cultura da empresa em que trabalha. Isso é papo furado de RH que tem que achar algum critério pra eliminar machos alfa e contratar puxa-sacos que ficam mais tempo no emprego mal-remunerado.

Se você tem 18 anos e não tem boas perspectivas, está na hora de ficar mais esperto pra por dinheiro no bolso. É com 18 anos que se torna adulto. Não com 25 nem com 33.

Não sei como funciona a seleção, nem me pergunte. Peça informações na junta de serviço militar da sua região.

Os maiores líderes do mundo passaram pelo Exército e não foi por acaso, pois militarismo faz parte da formação do cavalheiro tanto quanto business. Denovo aquilo que eu digo que meus estudos apontam sobre as diferenças dos ricos e pobres. Pobres aprendem sobre democracia. Pessoas poderosas aprendem realpolitik.

Faça como eles e não fique parado. Se tiver a oportunidade de servir um ano que seja, eu acho válido.

Um abraço! 

55 comentários:

  1. Achei meio pesados alguns termos, mas na essência é ótimo. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você é outro camarada que vê tudo de fora como se fosse perfeito,você é um retardado mental igual aos que você diz criticar,é mais um brasileiro que faz parte da centena de frutas podres que estragam todo o cesto,um filhinho de papai desse paulista e bem fresco,nunca foi a um quartel,nunca teve de entrar no charco,pediu pra sair com algum pistolão lá dentro pra ser reprovado por excesso de contingente,resumo,não sabe o que é ser gado,uma peça no xadrez,o exército não prepara ninguém,não vai preparar,a não ser pra ganhar uma bala na cabeça.

      Excluir
  2. Excelente post CF,

    Concordo com você. Muitos caras que eram vagabundos viram homens honrados depois que foram para as forças armadas. Eu até tentei entrar para o exército, mas não deu certo. Na época estava pegando pouca gente.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheci vadios demais que mudaram totalmente após passar pelas Forças Armadas pra ignorar os benefícios de servir.

      Conheci alguns que não aprenderam nada também, mas eles não aprenderiam nada útil em outro lugar de qualquer modo pois eram perdedores natos.

      Excluir
  3. A IF deve vir até os 20 anos. Depois disso, é correr atrás do tempo perdido. Whindersson Nunes, Neymar, Marina Ruy Barbosa, Bruna Marquezini, todos esses tiveram a if já antes dos 20 e são pessoas como a gente.

    Posso passar o dia citando nomes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se importe com esses caras, são todos pontos fora da curva. IF aos 20 anos só pra quem nasceu rico, é um gênio ou teve muita sorte.

      Excluir
    2. Esse anônimo está postando isso na maioria dos blogs kkkkk. Viagem total.

      Excluir
  4. Você é um sujeitinho bem arrogante e mal educado. Que tipo de pessoa responde com grosseria uma simples pergunta sobre a idade?

    É vergonhoso. Vergonhoso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se preocupe com isso. Vá ser feliz.

      Excluir
    2. Não vendemos leite de texugo nesse blog anon 8:00

      Excluir
    3. Hauahauhauha obrigado pela piada anon.

      Excluir
    4. Hehe de novo esse cara que quer saber sua idade.

      Que idade vc tem an curioso das 08:00? Trabalha com o quê? (Lembre-se que se recusar a responder estará automaticamente sendo arrogante).

      O dia que vc trabalhar servindo as pessoas vai descobrir o que é arrogância e má educação.

      Excluir
    5. O dia que vc trabalhar servindo as pessoas vai descobrir o que é arrogância e má educação.

      Boa!

      Excluir
  5. Palmas, palmas e mais palmas. Excelente artigo. Também tentei servir mas infelizmente fui reprovado por questões físicas. A juventude de hoje está cada vez mais perdida e o militarismo é uma excelente maneira de ensinar valores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigado.
      Tem gente que não consegue por qualquer motivo, a vida é assim mesmo.

      Excluir
  6. CF, tive sorte em relação a beleza física, pois sou bem bonito. Sou parecido com Anderson Varejão e Davi Luiz. Posso usar isso de alguma maneira, sei lá.

    Eu faria sucesso em qualquer lugar do mundo com esse estilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esses caras mas se você acredita que pode fazer sucesso com alguma característica, faça.

      Excluir
    2. Esse é o mesmo demente que posta no blog do pobre diabo se gabando de parecer com o Varejão e o Davi Luiz, dois caras feios para caralho por sinal. Deve ter retardo mental porque ele escreve isso a cada novo post do blog.

      Excluir
  7. O perfeccionismo já me atrapalhou. Uma vez já pensei em escrever um livro, porém sou capaz de demorar 2 anos pra escrever uma página.

    Ai não dá. Parece que nada está bom. Essa é a sensação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor feito do que perfeito.

      Garanto que você é capaz de fazer qualquer coisa e tem o QI alto, mas nossa cultura é assim, acabamos não fazendo nada, nunca, esperando a oportunidade certa.

      Excluir
  8. CF, confesso que quando li o título já torci o nariz, por preconceito. Na minha visão, a cultura militar atrapalha o desenvolvimento intelectual e filosófico da pessoa. Dito isso, do ponto de vista prático, concordo com TUDO o que disse. Se existem os pontos negativos que citei, existem também muitos pontos positivos que o jovem irá aprender, como disciplina, organização, o básico de um ofício específico. São hábitos que, quando enraizados, irão te ajudar em qualquer aspecto ao longo da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pensei metade da vida que militares eram burros, afinal historicamente o Exército sempre foi o lugar de pessoas sem educação que não tinham outras possibilidades.
      Nada mais diferente da realidade, e pra ser oficial com certeza precisa QI alto.
      Claro que tem os bitolados, mas isso tem em qualquer lugar.

      Até em relação à governo, já ouvi muito que militares não sabem politica. Mas se um general que conhece o país inteiro em todos os aspectos, lida com todo tipo de gente, estudou administração, gestão, logística, finanças, geopolítica, e teve uma carreira perfeita não tem a capacidade de comandar o estado, um bunda mole como o Lula não tem capacidade de gerenciar um chiqueiro.

      No mais também acredito que os maiores benefícios são os práticos. Sem disciplina ninguém consegue conquistar nada, e lá dentro é uma boa escola de liderança também. Tudo isso de graça.

      Excluir
    2. Sou militar e esse preconceito é bem comum, infelizmente...
      Gosto da crueza com que o CF trata as coisas, o passar dos anos me tem feito enxergar a vida assim, de maneira mais realista.
      Vejo que tudo na vida é uma questão de prioridades e escolhas. Entrar para o Exército, ao meu ver, significa fortalecer sua base: aprender a se virar por conta própria, "tirar o verniz" como se diz entre nós, conhecer e superar seus limites (as tais crenças limitantes do mundo do empreendedorismo), aprender valores morais pétreos. Tudo isso irá servir para construir um ser humano melhor preparado para as agruras da vida em qualquer campo.
      Se você quiser iniciar sua formação sem esses pilares, a escolha é livre, mas considero que suas chances de sucesso tendem a diminuir. Também não quero dizer que o EB seja o único lugar onde se desenvolve isso, mas certamente é um dos mais democráticos em termos de acesso e oportunidades.
      Por fim, a medida que se desenvolve intelecto e moralmente, a exigência de desafios ou complacência com aquilo que vc discorda passa a ser maior ou mais sutil. Isso acabar por impulsionar a pessoa a procurar novos ares, o que também pode ocorrer entre os militares. A crescente evasão de jovens oficiais e sargentos também passa por isso: aprende-se o básico, mas a busca por melhores oportunidades é intrínseco ao ser humano.
      Espero ter contribuído com a discussão. Parabéns pela abordagem, CF!
      Grande abraço a todos!

      Excluir
    3. Sua contribuição foi excelente e muito ponderada. Obrigado.

      Excluir
  9. Servi o exército por um ano (o obrigatório) e é bem isso que você escreveu mesmo.
    A maioria vive em lugares deprimentes e não tem a mínima noção de higiene. Tinha colegas que nunca tinham escovado os dentes. Imagina se um cara desse lava a mão depois que vai no banheiro. Lógico que não.

    Apesar de eu ser de família classe média, o exército me ajudou muito. O melhor para mim foi o senso de organização, disciplina e respeito a todos (não só aos superiores). Achei muito bacana quando ensinaram que o soldado mais educado é aquele que presta continência primeiro.

    Fiquei um ano e saí, visto que meus planos eram outros. Mas alguns ficaram e ainda estão lá.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O EB tem essa função social também nos tempos de paz, infelizmente pega menos do que deveria, pois o nível intelectual da maioria dos soldados é bastante baixo. Muitos não sabem coisas bastante básicas.

      É isso ai, o ideal é aprender o que precisa e ir embora realizar seus projetos pessoais.

      Excluir
  10. Eu não entendo porque você não quer fazer concurso cultural no seu blog.

    Qual o problema em você dar notebook, celular, 2 mil reais, tablet?

    Coisas básicas. Reflita consigo mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse mendigo do concurso cultural está em todos os blogs. PQP.

      Excluir
  11. "Muitos jovens, que estão ali com seus 17 ou 18 anos são seres completamente inúteis. Mal estudam ou já terminaram a porcaria da escola. Se trabalham, não colocam muita grana pra dentro de casa. Desperdiçam tempo demais namorando com fracassadas e se associando com outros trouxas. Não sabem o que fazer da vida, e já não são mais criancinhas que não sabem o resultado de seus atos." É, isso de fato é um problema existente em nossa sociedade e tenho que concordar que eles precisam de "disciplina", não digo que precisam realmente ficar no exército, mas acho que tem muitos garotos e garotas que parecem que vivem fora da realidade, não conseguem que estão com um fracassado ? Um choque de realidade é necessário. Ou que se afunde, pelo menos depois espero que tenha aprendido algo.

    "O pior de tudo nessa idade é a enorme propensão a fazer merda e estragar seu futuro tendo um filho, fazendo dívidas, usando drogas, escolhendo uma profissão terrível ou simplesmente perdendo tempo. São verdadeiras bombas relógio." Novamente, acho que devem se afundar. Conhecia uma garota que queria fazer ciências sociais, você acha que eu vou falar para ela que aquilo era uma ideia absurda ? Não, eu falei que ela deveria seguir os seus sonhos. Espero que ela se arrependa, caso contrário o curso será totalmente inútil.

    "Os culpados do filho ser um idiota, caso ele mesmo não seja um retardado, são os pais, escola e a Midia." Concordo, mas muitas vezes vejo pessoas que querem se destruir, literalmente, é um pouco assustador.

    Posso até concordar que pessoas que não tem propensão alguma de fazer algo da vida deveriam ir para o exército, porém acho um pouco errado ser um pouco aleatório. Tenho conhecidos que não querem servir e ainda estão sem saber o resultado, pessoas que já estão na universidade ou estão terminando o ensino médio, sem ter um ano de repetência na escola e por alguma razão ainda possuem a chance de ter que servir ao exército por um ano eu acho isso uma ideia horrível. Uma pessoa que está na Universidade tem que por sua vida em segundo plano por um ano, simplesmente porque foi escolhido aleatoriamente nessa loteria da servidão.

    Parece ter sido um pouco elitista e admito que de certo modo realmente foi, mas só acho que vale mais tentar "arrumar" uma pessoa que tem perspectivas zero na vida, do que atrapalhar por um ano pessoas que já tem vários objetivos a fazer e já está seguindo esse caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me parece que no geral o exército hoje em dia tenta ficar fora do caminho de quem tem grandes objetivos. O problema é que todo mundo acha que é bom demais pra perder um ano lá, então a discussão vai longe.

      A vida não é sempre justa, as vezes alguém que não merece se dá mal mesmo.

      Excluir
    2. Também já pensei assim acerca dos "universitários" alistados, que seria um atraso pra eles. Por experiência, vi que esses soldados elevavam o padrão cultural e disciplinar dos demais, trazendo um ganho extra pra todo o grupo.
      Por lei, nenhuma universidade pode fazer um aprovado perder sua vaga por causa do serviço militar obrigatório. O que ocorre é a costumeira falta de informação dos funcionários da instituição: basta mostrar a Lei do Serviço Militar a eles e tudo estará ok, seus planos apenas ficarão em stand by por um ano,se essa for sua vontade.
      Outro ponto: em terra de cegos, que tem um olho é rei! Nesse ambiente digamos "pouco competitivo", soldados com mais instrução e que se adaptam física e psicologicamente à atividade militar nadam de braçada por lá, ocupam posições mais relevantes e tendem a ter seu trabalho valorizado. Em questão de dois a três anos, podem alcançar a graduação de sargento temporário e passar a ganhar mais de 3k líquidos sem ter prestado nenhum concurso, apenas pela "seleção natural". Já vi alguns alunos de "uniesquinas" atentando pra essa realidade e agarrando essa oportunidade com unhas e dentes, iniciando bem na luta pela formação de seu patrimônio (detalhe: quando sair do serviço militar, ainda receberá um salário mensal por ano em que servir a título de compensação pecuniária, num total possível de sete, ou seja, mais de 20k na mão pra recomeçar a vida profissional, na melhor hipótese...).
      Grande abraço!

      Excluir
    3. Na minha opinião ninguém perde nada servindo um ano. Mesmo assim este post é voltado aos que não tem outras perspectivas.

      Excluir
  12. Essa é só mais uma das coisas que só mais velho fui perceber como um erro. Não ter entrado para o exército. Mas como iria ter um pensamento diferente?

    Em casa servir sempre foi visto como negativo, meu pai falando como forma de castigo e minha mãe depreciando como forma de ser pobretão o resto da vida e chamando de serviço merda. Sim pode ser merda no começo, mas depois - como qualquer outro serviço - é fácil transformar as rotinas em hábitos, tirar de letra as obrigações e tirar vantagens das situações. Exército é o melhor lugar para se fazer networking, ter benefícios financeiros e etc.

    Até os funças com quem eu trabalho dizem que uma das melhores áreas é a do exército, pois é a última que são mexidos quando o governo entra em crise. Mas é claro! Sem eles mantêm o poder coercitivo do mesmo. Se eles são desagradados o governo cai, por isso tem que ser tratados a pão de ló, agora o que um burocrata faz? NADA! Por isso apesar de não ser os primeiros a se fuderem na cadeia social/econômica, serão os primeiros do estado a se lascarem.

    Hoje aconselho a qualquer jovem que tem uma vida de merda que não tem dinheiro e não tem nada a perder, sirva ao exército!

    Abraços e sucesso financeiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certíssimo, o exército é o melhor lugar pra se fazer networking e aproveitar benefícios. É um ambiente estável e quem for esperto consegue ajeitar a vida.

      Na minha casa passei pelo mesmo. Por ter pais burros, a ideia de servir era uma espécie de punição. O EB é um verdadeiro trampolim pro sucesso para caras fodidos.

      Abraço!

      Excluir
  13. Olá, CF!

    Queria ter lido um post assim ou o de Fast-Food quando tinha 16 ou 17 anos. Me formei no Ensino Mérdio, e como só via na tv que "curso técnico é a nova parada pra ganhar bem" fui lá fazer um Técnico em Finanças, a tarde ainda, seguindo os conselhos de merda que existem por aí do "faça o que vc gosta"...Joguei dois anos fora estudando num horário que não dava pra arrumar emprego nenhum nesse interior imundo, nem um estágio fiz.

    Enquanto isso muita gente que conheci na mesma escola fizeram cursos mais úteis, como Adm (que basicamente é a mesma merda que eu fiz mas mais fácil pra arrumar trabalho), Informática ou Mecânica, e puderam aproveitar esses cursos citados pra entrar em escolas militares, e hoje estão bem como sargentos.

    Terminando esse curso, fui inventar de fazer um TECNÓLOGO (puta merda não façam essa bosta) também em Finanças, já que minha mente chimpa subdesenvolvida pensava: "bom, se eu tiver o combo lixoso técnico + facul na área que gosto vou me dar bem e os empregadores vão gostar".

    Terminei o curso e continuo na merda do interior, desempregado e sem rumo. Durante todo esse tempo ainda ignorei totalmente estudar pra ter um EXCEL ou INGLÊS decente, ferramentas que são praticamente básicas pra um profissional da minha área.

    Ahh esqueci de dizer, esse tecnólogo que fiz foi "de graça" pela FATEC e tbm no período da tarde, o que me roubou diversas oportunidades que apareceram, e terminei num estágio inútil com remuneração nula praticamente, carimbando papéis e colando cartazes na faculdade. Ou seja, 5 anos no total (2 do técnico e 3 do tecnólogo) jogados na lata do lixo, sem experiência prática decente.

    Dito isto, o que estou querendo fazer é seguir o conselho do post do Fast-Food. Tenho 23 pra 24 anos e tudo que quero agora é PRÁTICA, deixar de ser um fracassado que não sabe fazer porra nenhuma que exija o mínimo de prática, todas as notas excelentes que tirei não servem pra me arrumar bosta nenhuma hoje em dia.

    Minha ideia é trabalhar num fast-food (pra desgosto da família) e em 1 ou 2 anos tentar outro país, penso na Argentina por exemplo...Apesar de ser um país fodido e com inflação alta, o SM lá é o dobro daqui e mesmo que com a experiência do sub-emprego que tiver aqui pode ser mais fácil arrumar algo semelhante lá, o que pelo menos me daria uma língua nova e uns trocados pra juntar e tentar se mandar pro mundo civilizado o quanto antes (EUA ou algum país fodido Europeu, sim eu não quero Alemanha, Inglaterra, quero Portugal, Itália, ou países do leste europeu que chutam o cu da ideologia socialista que tanto mal gerou por lá).

    Se eu der sorte e ter competência, posso até "subir de cargo" no fast-food, o que pode dar uma grana a mais e acelerar o plano de sair do país. Ou até mesmo quem sabe servir de apoio pra tentar algum emprego com melhor remuneração lá fora, mesmo que seja nessa área.



    OBS: Vi seu comentário no post do Custo de Vida em Lisboa que diz o seguinte: "Existe na Europa um nível de crime diferente, o puramente mafioso, mas vou falar disso em outro post."

    Tô ansioso por esse post hein, fiquei curioso sobre os tais crimes de mafioso. Espero que não afetem imigrantes fodidos como eu em um futuro breve rs, um abraço!


    Anon 23 anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se me permite uma opinião (afinal ninguém me perguntou e o espaço não é meu), acredito que seus planos futuros focados na prática estão muito bons, realistas e factíveis.

      Excluir
    2. Olha anon, na sua idade minha vida era terrível e sem perspectivas como a sua. Mas saiba que eu trocaria todo o meu patrimônio pra voltar esses poucos anos pra trás e ter 23 anos denovo.

      No seu caso, até porque você disse gostar da área, eu faria certificações do tipo CPA e coisas assim pra agentes de investimentos que sejam valorizadas no resto do mundo. Ter feito os cursos de graça foi ótimo. Melhor que fazer o que fiz e aos 23 anos já tinha colocado uns 50 mil reais no lixo em um curso universitário. Infelizmente o tempo em que se está estudando é perdido pois poderia se estar sendo pago em algo.

      Argentina acho má escolha. País fodido. Mire alto desde já.

      Vou deixar na pauta esse post, obrigado por me lembrar.

      Em relação aos fast food, tem que se começar de algum lugar. Trabalhar pra aprender como um negócio lucrativo funciona, e executar seus hustles ao mesmo tempo. Por exemplo logo vem as declarações de imposto de renda. Até eu tiro dinheiro de preguiçosos assim todo ano.

      Excluir
    3. Obrigado pelos retornos Corey e CF! Vcs sempre tem muito a acrescentar, a blogosfera é uma ferramenta ótima pra troca de conhecimentos, experiências e dicas. Um abraço!

      Anon 23 anos

      Excluir
  14. CF, só li verdades, grande parte dos jovens apenas estão consumindo recursos naturais sem trazer nada em troca para a humanidade. Claro que os pais possuem uma parcela de culpa enorme nessa equação porém na minha opinião o pior é a escola, de onde malemá nêgo sai sabendo fórmula de baskara invés de como fritar um ovo.

    A escola é um verdadeiro lixo, anos desperdiçados aprendendo coisas sem utilidade prática. Aulas como culinária, mecânica e elétrica básicos, contabilidade, educação financeira, economia, educação moral e cívica (que existia na época dos milicos) são coisas úteis, não essas merdas que se aprende na escola.

    Só não fui para as forças armadas pq na ocasião da decisão já estava trabalhando, tinha cargo de liderança, conta em banco, carro e uma merreca na poupança, ou seja, já tinha um início de vida. Isso é inimaginável hoje em dia, mas na época até que era comum, a molecada de 17 anos já trabalhava e isso era comum. Sempre me pego pensando como minha vida teria sido se tivesse tocado o plano de ser militar...

    É uma pena que poucos moleques em idade militar lerão esse texto.

    "É com 18 anos que se torna adulto. Não com 25 nem com 33." - uma das coisas mais nojentas são os meninões de 30 anos, farei um post sobre isso...

    Grande abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Corey.

      Sim a escola não tem páreo. Tenho ASCO da escola, só perdi tempo de vida naquele lixo.

      Veja, você trabalhava e tinha responsabilidades. Nunca ouvi de alguém assim que o exército ficou no caminho, pra dar o exemplo à aristocrata ali em cima. Agora, dizer que porque o cara pensa em coçar o saco por mais alguns anos em uma faculdade ele tem grandes planos e não merece ser chamado, é discutível.

      No aguardo pelo seu post. Um abraco.

      Excluir
  15. Excelente post!
    Trabalho direto com um general que é estilo Dória. Acorda 5 e pouco para correr. Quando os outros vão começar o treinamento físico militar no início do expediente ele já esta na sala dele trabalhando. Logística, operações, administração, recursos... celular e mensagens não param um minuto. Vai embora muitas vezes depois da 19 h...

    ResponderExcluir
  16. Todos os of. generais que conheço são profissionais sem páreo. Pra falar a verdade são raros no mundo civil os que tem a ética de trabalho que um General tem. Pouca gente fora das Forças Armadas tem noção da carga de trabalho dos militares.

    ResponderExcluir
  17. Concordo com este post CF, mostra para alguém que está iniciando a vida que ele tem que começar debaixo e o EB oferece ótimas possibilidades.

    Tem um ponto que você não comentou é que quando um médico se forma, este é obrigado a trabalhar durante um ano para as forças armadas levando atendimento médico nos lugares mais distantes do Brasil. Meu irmão é médico e trabalhou um tempo no EB e foi uma experiência muito gratificante.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um amigo formado que conseguiu adiar pra depois da residência. Espero que o aprendizado da força seja válido pra ele, mas infelizmente médicos não são tratados como soldados, na minha opinião, apesar de usarem a farda tem muitas regalias.

      Excluir
  18. Espero que haja uma continuidade de posts nessa sequência para jovens...Gostei do relacionado a fast-food e este do exército, o que me encorajou a vasculhar posts antigos desse ótimo blog. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Se surgir inspiração, faço outros posts da serie.

      Excluir
  19. Fala CF gostaria de tirar uma dúvida qual profissão daria para eu cursar que valeria apena além de Medicina já que estou sendo realista pois mesmo que eu conseguir entrar não sobreviveria ao curso já que não tenho dinhenheiro nem pra se manter na cidade sou do inteior queria fazer contabilidade ou econ o Pobreta já dizia que a única que valeria apena era Medicina no brasil ou no mínimo ou Engenharia renomada mais tenho problemas nessas áreas de exatas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for pelo problema com exatas, na verdade você só precisa comer, dormir e respirar matemática e fazer aulas particulares até aprender o conteúdo e passar.

      Se for por ter que se manter, ai não sei como é sua situação. Eu acho contabilidade uma boa carreira por te dar a possibilidade de ser empregado, empresário, fazer bicos e achar boas oportunidades de investimento tudo ao mesmo tempo.

      Excluir
    2. Qual sua profissão CF?

      Excluir