sábado, 28 de fevereiro de 2015

Controle suas finanças

Administrar as finanças é muito fácil quando se cria um plano de controle e o hábito de segui-lo. Para evitar ser um escravo que depende do emprego apenas para pagar contas, você deve fazer basicamente duas coisas:

- Planejar suas finanças;
- Executar o planejamento.

A maioria das pessoas não planeja nada. Apenas sobrevive contando com a sorte ou achando que sabe administrar suas finanças. Se você faz isto, e vive bem, ótimo, mas se a maré mudar pode lhe atingir em cheio. Se você não tem planejamento e é pobre, ou tem dívidas, jamais vai sair desta situação e ela provavelmente vai piorar, pois a força dos juros vai jogar contra você.

O básico consiste em anotar suas receitas e seus gastos, para assim ter uma imagem de sua situação e planejar de maneira realista quais serão seus próximos passos, além de ver onde estão os "furos do seu balde". Tanto faz se você usa uma caderneta ou uma planilha no excel. O importante é que ela contemple suas receitas mensais fixas, como o salário, e as extras, como algum bico, um negócio extra ou o rendimento de seus investimentos, e depois as despesas.

É muito importante que você discrimine quais despesas são fixas, como o aluguel e as prestações de alguma dívida, e quais variam, ou seja, que não são o mesmo valor todos os meses, como a conta de luz, gasolina, alimentação, etc.

Existem diversos tipos de planilhas de orçamento pessoal bastante interessantes na internet, inclusive algumas geram gráficos para lhe auxiliar a ter a fotografia de suas finanças com maior detalhe. Para quem quiser uma bem fácil de usar, recomendo a que está no site da Bovespa:


Em relação às despesas, convém saber que elas são de quatro tipos:

Fixas obrigatórias
Ex: Aluguel da casa.

Fixas não-obrigatórias
Ex: Conta de internet.

Variáveis obrigatórias
Ex: Conta de luz.

Variáveis não-obrigatórias
Ex: gastos em festas

Classificando suas despesas assim, é possível saber quais estão muito altas e devem ser observadas mais de perto e quais cortar.
Observe que a maioria dos brasileiros se endivida comprando coisas totalmente inúteis,  pois é assim que o sistema se sustenta.

"Compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar pessoas que não gostamos"

É uma questão de mover o fluxo de caixa. Cada vez que você faz uma ligação com seu celular, está tirando dinheiro de seu bolso, e colocando no bolso dos acionistas das operadoras e do governo. Cada acelerada no carro, dinheiro sai do seu bolso e vai parar no bolso de quem lhe vendeu o carro, do dono do posto de gasolina e do governo. Cada dia que passa, dinheiro sai de seu bolso e cai na conta do dono do imóvel que você aluga. Aprenda a enxergar seu fluxo de caixa e estará mais próximo de atingir seus objetivos.

Uma dica é reservar uma quantia fixa para diversão após pagar as contas, e o que sobrar, investir. Assim é ser mais fácil de seguir seu plano.

Pretendo fazer um ou dois posts por semana em 2015, além de dar uma arrumada melhor no blog, e estou pensando em entrar no ranking da blogsfera de finanças a partir de Março. Este ranking é excelente para nos mantermos motivados.

11 comentários:

  1. Olá C.F

    Muito legal o texto,bem elaborado e de fácil entendimento. Apenas gostaria de fazer uma observação na parte "Uma dica é reservar uma quantia fixa para diversão após pagar as contas, e o que sobrar, investir" nesta parte eu penso que antes mesmo da diversão e até dos gastos mensais se deve investir primeiro em você, ou seja, pague-se primeiro. Antes eu também fazia do outro modo mas sobrava muito pouco para investir, isso quando sobrava. O modo de se pagar primeiro se torna mais interessante pelo fato de que você desenvolverá uma disciplina maior pois como investiu uma parte antes de gastar, o que sobrar será controlado com maior cuidado. No primeiro mês é difícil mas como você mesmo sugeriu a planilha é interessante por causa deste controle pois sabendo a média de gastos podemos ter um parâmetro para o quanto podemos investir e economizar.
    Abraço
    $$$

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certo, também sou adepto do pagar-se primeiro.
      O importante é reservar uma quantia mínima para diversão, que é uma necessidade, até mesmo para nos mantermos focados nos objetivos financeiros, e a quantia que sobrar deste valor reservado em diversão deve ser reaplicado como dinheiro novo no próximo mês.
      O importante é que a quantia gasta com diversão não afete o patrimônio e capacidade de aporte da pessoa, como ocorre com a maioria.

      Excluir
  2. Na sua visão qual o percentual para diversão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do seu projeto, de quanto patrimônio possui, quanto de renda passiva, do que valoriza, se possui filhos, sua idade, dívidas, de onde você mora... Não tem percentual fixo.
      Eu e minha esposa fazemos perto de 7 mil reais juntos contando com rendimento de investimentos e gastamos uns 200 reais em diversão por mês no máximo, tirando a conta da internet/TV.

      Excluir
  3. Não tinha notado até responder sua pergunta, mas se considerar o rendimento da minha esposa somos classe média segundo meus parâmetros. Porém vivemos frugalmente como pobres e tentamos aportar bastante pois temos um grande projeto e o Brasil não perdoa erros.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o blog passarei a acompanha-lo, adicionarei a minha lista de blogs.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu blog!
    Já entrou na minha lista de leitura.

    ResponderExcluir