sábado, 21 de fevereiro de 2015

Classes sociais


A algum tempo, o governo corrupto divulgou dados referentes à classificação de nível social do brasileiro. Uma escala altamente equivocada quando se relaciona à realidade, e com alto grau de comprometimento, dado o aparelhamento das instituições públicas em prol de uma agenda política de manutenção do poder e da pobreza e ignorância da população.

Afim de justificar seus índices de desenvolvimento frustrados, se diferencia o "extremamente pobre", o "pobre" e o "vulnerável" respectivamente com os pontos de corte: R$ 81,00; R$ 162,00; e R$ 291,00. Pessoalmente não entendo como qualquer valor destes seja diferente da miséria.

Segundo "eles", para entrar na classe média é necessário fazer apenas R$ 441 reais mensais, e para pertencer à classe alta, pouco mais de mil reais.

Quer dizer, este governo asqueroso transformou com um canetaço, da noite para o dia, milhões de brasileiros de fodidos em ricos.



Com este absurdo, pôde-se afirmar que milhões de brasileiros saíram da miséria e entraram na classe média durante os anos de terror de governo do PT. Ou seja, uma pessoa que não possui um mínimo de patrimônio e renda, vive em um barraco sem acesso à nada e sobrevive com apenas alguns dólares por mês agora faz parte da classe média.

Bem amigos, afim de contextualizar os leitores deste blog para a melhor delimitar as reais barreiras que diferenciam a sobrevida da liberdade, apresento a seguinte classificação, levando em conta os custos médios, em uma cidade de tamanho médio, portanto apresento a seguir valores médios.

Miséria
Ganha até R$ 999,00
Apenas sobrevive;
Não tem perspectivas de ascenção social;
Depende de alguém ou do governo;

Pobreza
Ganha até R$ 3000,00
Possui dívidas que comprometem a renda;
Não ganha o suficiente para sair do débito (tem que comprar bens à prestação);
Depende do salário (é um escravo).

Com o advento do capitalismo, o aumento da renda e riqueza foi enorme para todas as classes, principalmente as mais baixas. Isto quer dizer na prática que um pobre de hoje tem acesso a mais bens e serviços que um rico aristocrata tinha a menos de 100 anos atrás. Mesmo assim ainda é péssimo ser pobre.

Classe Média
Ganha até R$ 6999,00
Tem menor dependência do salário;
Consegue poupar algo (o que possibilitará investir);
Já almeja de maneira realista ou possui algum patrimônio;
Consome produtos com mínima qualidade.

Ter menor dependência do salário significa que, caso perca o emprego, ainda sobrevive, e com algum esforço consegue arrumar outra colocação.

Rico
Ganha um mínimo de R$ 7000,00
Não depende do salário para viver;
Possui ativos que lhe rendem mais do que o necessário para viver sem trabalhar;
Tem acesso à alta tecnologia e qualidade diferenciada;
Tem a possibilidade de ir embora do Brasil.

Classificar socioeconomicamente alguém é complicado porque, atualmente, uma pessoa consegue viver através do débito, portanto um pobre tem acesso a muitas coisas (inclusive estudo formal) pagando à prestação.


Outra questão é que o dinheiro que alguém faz pode não ser parâmetro de riqueza. Se uma pessoa possui residência própria e faz mil reais mensais, e é comparada com alguém que faz mil e quinhentos e paga mil de aluguel, é provável que a primeira viva melhor.

Também leve em conta que simplesmente afirmar que, alguém que faz X é pobre e X+2000 é rico pode não ser verdade pois o segundo pode cair em uma faixa de imposto maior e ser estuprado pelo estado.

No fim do dia, você é tão rico quanto seu patrimônio conseguir lhe sustentar sem depender de trabalho. Por exemplo: Se você consegue viver sem trabalhar por 12 meses, esta é a real medida de sua riqueza.

Jamais esqueça de duas coisas: Ser pobre não é defeito, é condição. Cometer erros é normal e relativo à falta de conhecimento ou de vícios.

E principalmente: NINGUÉM É RESPONSÁVEL POR VOCÊ ALÉM DE VOCÊ MESMO. Nem os ricos, nem seus pais, nem o capitalismo são culpados por sua situação além de você. Talvez o governo, pois é sustentado através de impostos, mas disto falaremos mais à frente.

Se você é pobre, ninguém tem nada a ver com isto e não lhe deve nada. Ser pobre é a condição natural do ser humano.

No próximo papo, vou discorrer sobre o porque dos pobres não poderem ter coisas que os ricos tem exclusividade, mesmo tendo a poderosa ferramenta do débito para ter uma qualidade de vida melhor.

Até a próxima.


5 comentários:

  1. Além dos impostos, uma pessoa que ganhe 2,3 k e que não tenha uma visão financeira de uma que ganhe 1 k, também está fadada a não enriquecer. Principalmente no que diz respeito a consumismo desenfreado. " Eu ganho mais, tenho mais crédito com o banco "

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sim, apesar de ter a possibilidade de manter uma qualidade de vida melhor, não saber gastar é o caminho pra pobreza não importa o quanto se ganhe.

      Excluir
  2. Poderia dividir a classe média em mais níveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, mas tentei ser sucinto. De 3 a 7k está bom pra classe média e acima ser chamado de "rico", por mais que isto varie muito. Cara que ganha 3k em São Paulo é pobre.

      Excluir
    2. Vou atualizar este post no próximo ano.

      Excluir