quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ponderando sobre tatuagens

Tatuagens fazem parte da nossa cultura já a muitos anos. O que por muito tempo era comum apenas entre marinheiros e pessoas vistas como a escória da sociedade, acabou por se popularizar do mesmo modo como as drogas: através das celebridades.


Algumas culturas veem como símbolos de status e coragem, enquanto em outras é proibido por ser uma violência ao corpo. O fato é que é algo permanente (até existem tratamentos caros de despigmentação mas ninguém considera usá-los), então é necessário ponderar muito tempo sobre o assunto caso seja sua vontade fazer uma. 

A pouco tempo houve uma polêmica na internet por uma subcelebridade ter tatuado um braço todo de preto. Não adianta, você sempre será julgado pelos outros e a tatuagem serve justamente para isso, é uma tentativa de moldar a impressão que os outros tem de você. É um sinal no sentido literal da palavra.

Sempre digo, ao invés de tatuar algo, faça uma camiseta com o desenho e use até enjoar. Até porque os sinais que você quer mandar hoje podem, e provavelmente não vão ser os mesmos daqui a alguns anos.

Tenho tatuagens e pretendo ter algumas mais, mas em locais que não me prejudiquem socialmente. Como eu sempre digo, preconceito existe em todo lugar e não estou nem ai se acontecer comigo, mas eu aceito as regras do jogo.

É importante fazer com um profissional que siga a risco as questões sanitárias e estudar sobre o processo de cicatrização para ter um bom resultado. Essas coisas são sua obrigação. Se for fazer uma, observe os trabalhos anteriores e peça referências. Jamais tatue com iniciantes e artistas que nunca evoluíram.

Tatuagem é um gasto totalmente desnecessário e mesmo assim uma coisa que quase todo mundo tem. Isso é um fato observável importante. Geralmente damos mais importância à nossa aparência que à segurança financeira.

Você possui tatuagens? O que pensa a respeito?

34 comentários:

  1. Cara eu não tenho tatuagem e por enquanto não penso em ter.

    Acredito que alguns a fazem, para estar inserido no meio, pois hoje o diferente é quem não tem uma tatuagem. Concorda comigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Acredito que quem faz uma tatuagem quer no fundo pertencer a um grupo, mesmo que este grupo seja algo pouco definido.

      Excluir
  2. Eu tenho uma. E tenho vontade de fazer mais duas.

    Porém não tenho coragem de guardar dinheiro pra isso. Estou totalmente focado em investimentos agora.

    Um dia se sobrar uma grana vou lá e faço. Já tenho os desenhos definidos, só falta a vontade de guardar dinheiro pra isso. Apesar de ser algo totalmente supérfluo, eu gosto muito da tatuagem que fiz. É algo simples que me faz lembrar de coisas boas que aconteceram na minha vida.

    Tem gente que coleciona bonecos caros. Tem quem compra um carro de 10 mil e gasta o dobro disso enchendo de som e rebaixando. Tem quem adora videogames. Quem somos nós pra julgar os gostos alheios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não faço mais por questão de prioridades. No momento não quero gastar nisso.

      Acho que o problema reside justamente no descontrole. Por exemplo um cara que vive de salário em salário comprar esses bonecos caros. Não que ele não tenha o direito, mas conheço gente assim que depois reclama da vida.

      Excluir
  3. Tenho algumas tatuagens de símbolos e textos, mas todas em locais ocultos, fiz pra mim mesmo, são como lembretes: acredito no Bardo Thodol e como sei que após morrer dificilmente terei um iniciado ao lado da minha casca morta para recitar o guia dos mortos, tatuei as partes mais importantes em algumas partes do meu corpo, assim, depois de largar o corpo poderei ler/recitar e talvez, nunca mais voltar aqui ou pelo menos, nascer em um lugar mais civilizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus motivos são bastante particulares, Gerson.

      Excluir
  4. Respeito quem tem, mas não pretendo ter. Uma coisa que notei é que tatuagem virou moda. Principalmente as tatuagens nos braços. A quantidade de gente que tem é absurda.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada hora surge uma moda nova relativa à tatuagem... São muitas pra citar.

      Excluir
  5. Falou a real, um exemplo, meu chefe tem 51 tatuagens mas todas são em locais onde uma camisa e uma calça jeans tampa tudo. O negócio é fazer e aceitar a regra do jogo, coisa que a geração de hoje não gosta de fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, se a pessoa faz uma tatuagem tem que estar pronta pra suportar o julgamento alheio. Hoje tem muito esse negócio de forçar os outros a aceitarem os comportamentos mais absurdos.

      Excluir
  6. Tatuagem é uma palhaçada. Não sei como as pessoas conseguem fazer. Algo totalmente desnecessário, pra queimar dinheiro mesmo.

    Pode ser até os nomes dos pais tatuados, nem isso salva essa burrice.

    É aquilo, tem louco pra tudo. E como têm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ser humano faz muitas coisas desnecessárias e ilógicas.

      Excluir
  7. Fala CF,

    Como católico lembro que na época de adolescente o padre e catequistas falavam que tatuagens não eram coisa de Deus, e que quem estivesse tatuado não seria reconhecido e nem entraria nos reinos dos céus. Lembro disto até hoje rs.

    Um colega uma vez fez uma tatuagem, sem brincadeira, numa cadeira de plástico na rua de um tatuador muito duvidoso em frente a uma região boêmia (leia-se: Região cheia de prostitutas e prostíbulos).

    A agulha era nova? Tirada do plástico?

    Não ...

    Não sei se deu alguma doença, mas este colega era muito bobo e pagou lá seus R$ 10,00 pra fazer uma tatuagem de letra japonesa no braço ...

    Eu não sou contra, mas eu não faria em mim não.

    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahah lembro de já ter visto esses locais imundos de tatuagem na rua em cidades de praia ou hippies mendigos de praça.

      Realmente não é correto tatuar segundo a doutrina cristã.

      Excluir
  8. Pois é CF, falei muito em um post sobre esse tema, eu tenho várias tatoos, e não é pela moda, visto que minha primeira foi no ano 2000 com 14 anos, kkkk.

    Algumas pessoas se assustam quando me veem sem camisa ou sem estar todo social, visto que tenho um braço totalmente fechado.

    O post que fiz foi esse:

    https://lawyerinvestidor.blogspot.com.br/2017/03/estereotipo-e-julgamento-social.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro do seu post.

      Tenho uma na perna que também parece assustar as pessoas. Em alguns locais evito usar bermuda.

      Excluir
  9. Quase todo mundo tem? Ainda acho que a proporção é baixa. Besteira julgar alguém por isso, assim como acho tolice quem faz apenas pra passar uma mensagem em vez de simplesmente gostar. Eu não gosto.

    O Theodore Darymple fala um pouco nos livros dele, citando o exemplo das tatuagens, sobre como, em vez de os pobres copiarem os ricos, os ricos copiam os pobres. Isso seria um sintoma da degradação cultural e tal. Dá polêmica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi modo de dizer, mas de onde eu venho muita gente tem tatuagem.

      Interessante o que você citou. Realmente se inverteram os valores. Não é mais a educação e a alta cultura e a educação que é perseguida.

      Excluir
  10. Rapaz, tatuagem era coisa de degenerado e continua sendo. O que houve de lá para cá é que a inclusão dos marginalizados a sociedade ficou mais tolerável, por tanta martelada da mídia em nossas cabeças.

    Como pessoas normais, independentes trabalhadoras não dependem do governo e não são de fácil manobra, a saída da esquerda foi impor a aceitação da massa marginalizada como algo aceitavel na sociedade das pessoas de bem. Misturando os bons com os podres para que a sociedade colapse e eles possam governar sem impedimentos.

    Só conheço 2 tipos de pessoas com tatuagem. Bandidos e pessoas de mente fraca (querendo aceitação).

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu discordo que seja coisa exclusiva de degenerado. De resto não há como negar.

      Excluir
  11. Olá, CF!

    Eu não gosto de tatuagem em mim, mas não ligo pras dos outros. Meus cantores favoritos são tatuados e para a profissão deles acho que tem tudo a ver, mas no geral eu acho tatuagem uma coisa boba demais para ser "eterna".

    Houve uma época que tatuagem era símbolo de alguma ideologia ou coisa do tipo. Não que ache isso grande coisa, mas hoje em dia é algo tão banal que ser diferente é não ter tatuagem :p

    Dificilmente eu faria alguma tatuagem, gosto muito da minha pele limpa. Sinto-me diferente por não ficar igual os outros se enchendo de desenho e escritos na pele, mas isso é só meu ponto de vista em relação a mim, apenas. Não me importo com as tatuagens dos outros (contato que não sejam aquelas tatuagens escrotas: beijo no pescoço, estrela na omoplata ou aquela merda que o PC Siqueira fez no braço que parece que ele pegou a peste bubônica HAHAAHAHAHAHA).

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem alguns motivos realmente medonhos e que prejudicam nas relações pessoais e até pra arrumar um emprego, e eu não critico nem um pouco quem recrimina.

      Excluir
  12. Sempre gostei de tatuagens, mas até hoje não me animei a fazer nenhuma. É uma coisa que eu gostaria de fazer, mas não penso muito sobre isso.
    E a parte do preconceito nem levo em consideração já que não pretendo fechar o corpo inteiro, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor nem fazer. Depois da primeira eu sei que você voltará para a segunda.

      Excluir
  13. Aqui no Brasil tatuagem virou moda. Até os ano 90 uma ou outra pessoa tinha tatuagem de uns 10 anos pra cá esse número explodiu.
    Ao meu ver isso aconteceu por simples modismo. Pessoas fazem porque outras fizeram e por aí vai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós importamos muita coisa dos USA. Talvez isso também tenha vindo de fora, mas lá e na Inglaterra a tatuagem está na cultura a muito mais tempo.

      Acho que as novas gerações cresceram vendo tatuagem como algo normal, diferente das pessoas antes dos anos 90. Temo que algo similar ocorra com as drogas.

      Excluir
  14. Olá CF,

    Não gosto de tatuagem, mas cada um é livre para decidir o que fazer com o próprio corpo.

    Só não pode "fechar" o corpo, se encher de piercings e alargadores e querer que os outros não façam cara feia.

    Respeitar não quer dizer gostar ou achar bonito.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que saber onde aperta o sapato, como dizem ehehe

      Excluir
  15. Sua esposa tem tatuagens? O que ela pensa a respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem algumas.
      Acha normal e não deve pensar muito a respeito, apesar de reconhecer certos tipos de tatuagem como característica de marginais.

      Excluir
  16. Eu não acho tatuagens algo bonito. Mas cada um faz o que quer com seu corpo.
    Sempre digo para meus filhos que se você quer ser levado a sério em qualquer ambiente, é bom que não use drogas, não use piercings ou tenha tatuagens aparentes, se vista corretamente e evite usar gírias ou falar palavrões.
    Minha filha uma vez contou que na escola dela um grupo de meninas planejavam fazer um "selo da amizade" em forma de ursinho no braço. Só era do grupo das amigas quem tivesse a tatuagem. Minha filha chegou um dia da escola se queixando para minha esposa que foi chamada de "falsiane" e foi quase excluída socialmente porquê recusou uma proposta tão infantil dessas.
    Eu simplesmente disse para ela procurar amigos que pensem em algo que dê futuro como grupos de estudo, debate, esportes etc.
    Me impressiona o nível que os jovens de hoje em dia chegaram e como os pais ainda permitem essas loucuras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiz as minhas quando já era maior de idade e pagava minhas contas, além de ter sido o primeiro dos meus amigos mais próximos a fazer uma tatuagem. A maioria dos meus amigos nem tem.

      Não sei se os absurdos que os pais tem que lidar diariamente tem necessariamente a ver com tatuagem, apesar de vez ou outra alguém jovem demais e imaturo surgir com a ideia de fazer uma. Eu não deixei de ser uma pessoa produtiva e saudável por ter feito as minhas. A minha primeira, inclusive, tem a ver com valores que considero importantes e exercitei numa arte marcial por mais de uma década.

      De qualquer modo concordo totalmente com seu segundo parágrafo.

      Excluir
  17. "ao invés de tatuar algo, faça uma camiseta com o desenho e use até enjoar. Até porque os sinais que você quer mandar hoje podem, e provavelmente não vão ser os mesmos daqui a alguns anos."

    Uma boa opção para um medo que eu tenho de encher a pele de tinta, meu pai se arrepende da única tatuagem que fez.

    ResponderExcluir