domingo, 10 de setembro de 2017

Filhos que o governo me proíbe de ter

O governo brasileiro liberou seus dados (provavelmente falsos) sobre desemprego, que dizem ter caído nos últimos tempos, graças à uma grande parcela da população ter abraçado a informalidade.

http://exame.abril.com.br/economia/avanco-da-informalidade-proporciona-queda-no-desemprego/

Como o governo sabe quem está ou não trabalhando informalmente? Como o governo sabe que a ex colega da minha esposa está fazendo doces em casa pra sobreviver? Não sabe. Inventa.

Como fazer as pessoas abrirem empresas e serem empregadas por elas? Aquecendo a economia. E como se faz isso? Cortando impostos e regulação inútil. Não é baixando na caneta taxa de juros. É cortando impostos. 

Não é segredo pra ninguém que os custos de se ter empregados (até domésticos) no Brasil é proibitivo uma vez que você paga outro salário pro governo e ainda toma processos. Centenas de milhares de empresas quebraram nos últimos anos de governo de esquerda. Não conseguiram sobreviver por razão da carga tributária. Eu faço a comparação de empregados com filhos. Se uma pessoa não tem condições de empregar outro, em princípio não tem condições de ter um filho, que não gera valor por muitos anos.

Bom, vou contar um "causo" que me ocorreu aqui esta semana e na semana passada que ilustra o principal motivo de eu não ter tido filhos.

Estes dias estava no supermercado comprando os produtos mais baratos pra economizar e vi uma mulher com dois filhos pequenos que me chamou a atenção pela falta de educação que teve com o açougueiro e por ela estar maltrapilha e grávida de mais um. Sabem como é alguém maltrapilho em Portugal é estranho nos dias de hoje, apesar de existirem dramas individuais que a gente nem tem ideia.

Na outra semana, a mesma coisa. Outra grávida maltrapilha, mal-educada com dois filhos pequenos. Algo que me chamou a atenção, pois aqui em casa um dos motivos de não termos filhos é a impossibilidade de dar suporte financeiro pra uma criança.

Já havia visto o comportamento absurdo de algumas pessoas da etnia delas dentro do supermercado, no intuito de causar confusão na retaguarda profunda dos funcionários e segurança para que outros roubassem mais tranquilamente. Também já vi colocarem produtos no carrinho de bebê como se fosse a cesta de compras, pra convenientemente esquecer de tirar alguma coisa na frente do caixa, mas isso é outra história.

A questão é que essas mulheres recebem auxílio financeiro do governo e moradia social, pagos por mim, com os 23% de imposto em tudo o que compro. Aliás essa alíquota me fodia na minha loja, pois tornava os produtos caros em relação aos de empresas maiores que tem subsídios e descontos em grandes compras.

Com esses 23% do meu dinheiro que vai fora, eu poderia criar um filho, mas ao invés disso os anos passam e me torno mais velho e cansado até pra cuidar de dois gatos.

Então o que o governo faz é tornar difícil o trabalho e fácil viver em miséria. Socialismo enfraquece as pessoas, que preferem receber subsídio à ganhar o mesmo ou menos trabalhando. Outro dia conto de uma brasileira conhecida nossa que mora aqui e recebe 2 mil reais do Brasil por dizer ter sindrome do pânico. Como só anda de salto alto e roupas justas, não aguentou 1 dia trabalhando em restaurantes nas duas vezes que tentou. Está esperando cair do céu uma autorização de residência por ter aberto atividade como artista.

Minha mulher e eu estamos presenteando uma amiga nossa que foi colega de escola com um pacote de fraldas, um shampoo e uma pomada para seu chá de bebê e hoje fui ver os preços na Internet, pra que um amigo meu entregue na casa dela, e só isso vai custar 70 ou 80 reais.


O governo está achatando cada vez mais a classe média aumentando o número de miseráveis. Essa é sua principal política de controle social a nível mundial.

14 comentários:

  1. Se for pra ter filhos tem que ser depois dos 40, o homem no caso.

    ResponderExcluir
  2. É verdade antes da nova lei das domésticas eu tinha empregada aqui em casa e gostava muito dela mas não aceito pagar um salário para ela e outro para o governo. Resultado, eu e minha esposa fazemos tudo aqui e o dinheiro que eu pagava à empregada estou investindo para o futuro de minha filha. E a empregada? Coitada, até hoje não conseguiu outro emprego. É isso que os governos (esquerdistas fazem mais) com as pessoas. Você fez bem de sair do Brasil mas não sei se há lugar bom no mundo afinal todos os países estão esquerdando de vez. Os governos tomam dos que fazem alguma coisa para entregar para os que não fazem nada e essa é a pior injustiça. No final ninguém fará nada e o colapso acontecerá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o discurso mais demagogo é o que vence na democracia. Estamos perdidos.

      Excluir
  3. social democracia ( Socialismo a conta gotas), só basta escolher a velocidade que se quer chegar ao socialismo.

    Via estatismo: Venezuela, cuba etc ou via gradualismo EUA, EUROPA etc.

    Para cada um que paga imposto outro recebe sem te produzido nada em troca.

    O que faz uma nação realmente rica são os trabalhadores , empreendedores, cientistas etc que criam valor e produtividade.

    Enquanto a produtividade , poupança , riqueza se manter em níveis historicamente baixos, muito deste fenômeno apoiados pelo baronato industrial monopolista, lobby , mercantilismo e todo tipo e arranjo visando criar reservas de mercado lastreadas em concessão estatal.


    A curva de produtividade vai cair a níveis historicamente baixos.

    Sem contar que todo sistema social democrática é piramidal, quando as pessoas que sustentam este sistema ficam velhas e não pode gerar mais valor para sociedade o sistema colapsa, já que o número de beneficiário da pilhagem estatal é maior do que o de produtores de riqueza.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior é que nenhum sistema privado de previdência está à salvo de um governo desesperado ou patrimônio à salvo de uma turba populista.

      Excluir
  4. Salve, C.F.! Você está certíssimo, o governo acaba dificultando a vida e a relação entre as pessoas, o que torna mais difícil o processo de criar filhos. É um tema muito complexo, mas além da parte financeira, também há a parte cultural que só dificulta o processo de criação de filhos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Essas desculpas para não ter filho são muito boas. Mas como você justifica para si mesmo essa decisão de não ter filho quando vê famílias com 2, 3, 4 e até mais filhos que não entram nos exemplos que citou? Ou seja, famílias com filhos muito bem educados e de gente que não é mal-trapilha? Alias, provavelmente essas mães aí JÁ eram pobres antes dos filhos, que dizer: elas provavelmente não ficaram pobres depois dos filhos como seu texto quer tentar passar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu exemplo é a minoria. Em ambientes sem estrutura a educação se degenera. Não fosse assim a criminalidade não seria bem maior entre as classes mais baixas e em favelas, pra dar um exemplo bem claro.

      Meu texto não quer dizer que elas ficaram mais pobres por culpa dos filhos, e sim que nem se importam pois o governo lhes dá dinheiro para subsistência e moradia.

      Eu que não ganho nada (e pago 23% em tudo) sim, ficaria mais pobre se tivesse um filho (imagine 3). Aliás nem conseguiria sustentar um.

      Excluir
  6. CI

    Querendo ser Pai?!

    =D

    Eu também tenho esses vislumbres com a idade que já tenho, acredito que não terei o prazer de ser Pai, pois não terei filhos sem ter ao menos uns 500 mil reais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não tenho sequer condições de dar uma vida digna a um filho.

      Excluir
  7. Verdade. também penso muito nessa questão de ter filhos. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está difícil sequer considerar a possibilidade.
      Um abraço!

      Excluir